Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Emprego na indústria tem pior resultado desde 2009

Segundo IBGE, índice de ocupação caiu 3,1% na comparação com o sexto mês de 2013; segmento de Petróleo e álcool foi o que mais demitiu

Por Da Redação 8 ago 2014, 15h20

Como reflexo da desaceleração econômica e retração da indústria, o nível de emprego no setor industrial caiu 3,1% em junho em relação ao mesmo mês do ano passado, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira. Nessa base de comparação, este é o maior recuo desde novembro de 2009, quando o indicador registrou queda de 3,7%. Ante maio, a ocupação da indústria recuou 0,5%, sem considerar influências temporárias. Assim, o nível de emprego na indústria brasileira caiu 2,3% no primeiro semestre de 2014 e, em 12 meses até junho, 1,9%.

Considerando o nível de ocupação de junho deste ano com o do ano passado, o segmento de Refino de Petróleo e Álcool foi o que mais demitiu: o número de assalariados despencou 8,4%. Calçados e couro vieram na sequência, com queda de 7,6%. Na contramão, a indústria de produtos químicos foi uma das poucas que aumentou seu quadro de funcionários, mesmo assim, a alta foi tímida, de apenas 1,9%.

Leia também:

Produção de veículos cai 20,5% em julho

Produção industrial cai 6,9% em junho

Ainda segundo o instituto, o número de horas pagas aos trabalhadores da indústria caiu 1,2% entre junho e maio; 4,2% em relação ao sexto mês de 2013; 2,9% no primeiro semestre do ano; e, por fim, 2,3% no acumulado de 12 meses até junho.

Continua após a publicidade

Por fim, o salário desses trabalhadores também sentiu os efeitos de uma economia com pé no freio e a folha de pagamento caiu 2,4% em relação a maio e 0,3% contra junho de 2013. A boa notícia é que, no ano, a remuneração dos trabalhadores subiu 1,3%.

Leia ainda: Confiança da indústria é a menor desde abril de 2009

Produtividade brasileira estagnou na última década, alerta OCDE

Ocupação na indústria

Apenas três dos 18 segmentos avaliados tiveram aumento do número de funcionários na comparação de junho de 2014 com junho de 2013

IBGE

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês