Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em visita de Temer, chineses dão aportes de R$ 15 bi ao Brasil

Entre os alvos de investimentos estão a siderurgia do Maranhão e o setor agrícola brasileiro

A atração de investimentos chineses para projetos de infraestrutura no Brasil é um dos pontos centrais da visita que o presidente Michel Temer iniciou nesta sexta-feira, à China. Mas o maior objetivo de Temer com a viagem – no domingo, ele participa da reunião do G-20 -, é passar a mensagem de que o período de instabilidade política no Brasil foi superado e que seu governo está tomando as medidas necessárias para ajustar a economia e dar segurança aos que coloquem capital em grandes projetos de infraestrutura.

Em evento que reuniu cerca de 100 empresários brasileiros e 250 chineses em Xangai, alguns investimentos já foram anunciados. A CBSteel oficializou um acordo de US$ 3 bilhões (R$ 9,75 bilhões) para siderurgia no Maranhão. A China Communications Construction Company (CCCC) informou um aporte de US$ 460 milhões (R$ 1,5 bilhão) em um terminal multicargas em São Luís (MA). A Hunan Dakang disse que investirá US$ 1 bilhão (R$ 3,25 bilhões) em agricultura no Brasil. E a Embraer fechou a venda de pelo menos 4 aviões para dois grupos chineses.

Temer desembarcou em Xangai sob o impacto de mais uma crise em sua base de apoio no Congresso, sem a qual não conseguirá aprovar o ajuste fiscal nem o novo modelo de concessões, dois dos principais elementos de sedução de potenciais investidores estrangeiros. A manobra de parcela do PMDB para livrar Dilma Rousseff da perda dos direitos políticos irritou o PSDB e abalou o apoio do governo entre os parlamentares.

Principal articulador do acordo pró-Dilma, o presidente do Senado, Renan Calheiros, acompanha Temer na viagem à China. Também estão na comitiva os ministros José Serra (Relações Exteriores), Henrique Meirelles (Fazenda) e Blairo Maggi (Agricultura), além de Quintella, dos Transportes.

Depois de participar de seminário com os empresários em Xangai, Temer foi para a Hangzhou, onde se reuniria com o líder chinês Xi Jinping, em sua primeira reunião oficial com um chefe de Estado estrangeiro.

(com Conteúdo Estadão)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Marco Aurelio Jandelli

    Pronto, já começou a chegar o capital estrangeiro na produção.

    Curtir

  2. Elcir Granado

    É incrível que como a classe politica brasileira e extremamente corporativista, interesseira enão dão a minima para o Brasil. Enquanto houver reeleição para cargos legislativos vamos ter somente os mesmos ou as mesmas m…..!

    Curtir

  3. Esta gangue que domina a politica brasileira, principalmente em Braília, não tem vergonha na cara. Depois de criar este enorme embaraço pro atual governo, o cara-de-pau do Calheiros vai nos representar na China. Devia estar na cadeia e não envergonhando o povo brasileiro.

    Curtir

  4. Thiago Passos

    Lembrando que 1 ano antes, Dilma trouxe 50 bilhões de investimentos da China. Claro que os 15 bilhões adicionais fará bem, mas antes que cheguem falando que esse foi um grandioso feito.

    Curtir

  5. Pietro Muniz Giotto

    Olha o Temer fazendo acordos com os comunistas chineses, o que os coxinhas tem a dizer agora?

    Curtir

  6. Democrata Cristão

    Bobagem fazer acordos com a China, ela está com super produção, este foi alerta de Taiwan, então ela quer defecar a sua produção aqui, preservando o emprego do trabalhador chinês e mandando para o espaço o emprego do brasileiro. Temos que fazer acordos com países ricos, temos que trazer suas fábricas para o Brasil. Senhor Presidente Temer, o senhor está repetindo os equívocos da Dilma. Lamentável.

    Curtir

  7. Cyrano Miname

    Thiago Passos, que 50 bilhões são estes? Só notícias plantadas em jornais? Ou ficou nas contas secretas da turma, porque pela penúria das contas externas brasileira por aqui não chegou.

    Curtir

  8. Filipe Carvalho Eccher

    Pietro Muniz Giotto,pelo o que eu sei PMDB não é direita e está longe de ser, PMDB foi o maior aliado dos Petistas nesses 13 anos,entenda uma coisa,se a Dilma não fosse impeachada ele continuaria no Poder com ela do mesmo geito,mesmo sendo Vice,unico pártido que se mostra de direita e o PSC,mas a politica geral do brasil está um lixo,em 2018 temos que passar esse País a limpo,temos o titulo de eleitor.

    Curtir