Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em 2012, comércio mundial terá pior resultado em 20 anos

Previsão dos economistas da OMC é de um crescimento de 3,7%. Provocado por crise europeia e tsunami no Japão, o mau resultado de 2011 persistirá

O comércio mundial vai crescer 3,7% em 2012, abaixo da média de 5,4% registrada nos últimos 20 anos, conforme as previsões dos economistas da Organização Mundial do Comércio (OMC). Nesta quinta-feira, a OMC também revelou que em 2011 o comércio mundial avançou 5% – uma forte desaceleração em relação a 2010, quando o crescimento foi de 13,8%.

A OMC aponta a crise da dívida europeia, o tsunami no Japão e as inundações tailandesas como responsáveis pela desaceleração no ano passado, e adverte que a fragilidade persistirá ao longo de 2012. A previsão indica que as economias desenvolvidas terão um crescimento de 2% nas exportações e de 1,9% nas importações. Enquanto isso, países em desenvolvimento experimentarão uma progressão de 5,6% nas exportações e de 6,2% nos produtos importados.

Com relação a 2013, a OMC prevê um crescimento global do comércio de 5,6%: as exportações progredirão 4,1% nos países ricos e 7,2% nos emergentes, enquanto as importações terão um crescimento de 3,9% e 7,8%, respectivamente. No entanto, a OMC adverte que esses números podem diminuir se houver uma contração econômica mais dura que o previsto na Europa, se a crise da dívida europeia contagiar outras regiões ou se houver um rápido aumento dos preços do petróleo, entre outros riscos.

A OMC afirma que os dados econômicos do Japão e dos Estados Unidos melhoraram recentemente, mas indica que esses aspectos positivos não poderão resistir aos negativos, liderados pela União Europeia. Em 2011, as exportações das economias desenvolvidas superaram as expectativas e se situaram em 4,7%, enquanto nas economias em desenvolvimento os resultados foram piores que os previstos, com um aumento de 5,4%.

Os Estados Unidos lideraram os países ricos com um “vigoroso” aumento das exportações de 7,2%, seguida por uma expansão de 5% da União Europeia. A progressão das exportações na China foi de 9,3%, um número que superou o resto do mundo, mas que foi moderada com relação ao extraordinário crescimento de 28,4% em 2010.

A OMC explica o aumento devido aos terremotos e tsunami no Japão, “que perturbaram as cadeias mundiais de provisões, o que gerou prejuízo das exportações de países em desenvolvimento como a China”. O relatório também faz referência às consequências que a Primavera Árabe teve nas exportações africanas, que se caíram consideravelmente (8%). Em 2011, o valor em dólares do comércio mundial de mercadorias aumentou em 19% até alcançar 18,2 trilhões de dólares, superando assim o nível máximo de 16,1 trilhões de dólares alcançado em 2008.

A participação das economias em desenvolvimento no total mundial também aumentou: 47% nas exportações e 42% nas importações, níveis nunca alcançados até o momento. Com relação aos serviços, o valor das exportações comerciais aumentou em 11% e se situou nos 4,2 trilhões de dólares.

(Com agência EFE)