Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Elon Musk desiste da compra do Twitter? Negócio de US$ 44 bi está suspenso

Em tuíte, o bilionário disse que a aquisição depende de confirmação sobre número de usuários com contas de spam ou falsas na rede

Por Larissa Quintino Atualizado em 13 Maio 2022, 14h21 - Publicado em 13 Maio 2022, 08h16

O bilionário sul-africano Elon Musk é um homem cheio de surpresas. Após tornar o Twitter uma empresa-foco no mundo dos negócios anunciando uma grande participação acionária e, posteriormente, uma proposta de 44 bilhões de dólares para virar o dono da rede, ele comunicou nesta sexta-feira, 13, que o negócio está suspenso, ou melhor “on hold”, como Musk definiu. Horas depois, o próprio Musk voltou ao Twitter para dizer que “ainda está comprometido” com a compra da rede social.

O anúncio da suspensão do negócio foi feito pelo homem mais rico do mundo justamente em sua conta do Twitter, com mais de 80 milhões de seguidores.  Segundo Musk, a suspensão ocorre até que ele receba mais informações sobre a proporção de contas falsas na rede social. De acordo com a agência Reuters, não houve novo registro no site da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA explicando o comentário de Musk na manhã de sexta-feira.

Com a tuitada de Musk, as ações do Twitter tiveram um tombo no pré-mercado, chegando a cair 20%, de acordo com registro da Bloomberg. Em contrapartida, as ações da Tesla, a empresa de carros elétricos de Musk, subiram 5% também no pré-mercado. 

O Twitter disse em seus últimos resultados trimestrais “que a média de contas falsas ou spam durante o primeiro trimestre de 2022 representou menos de 5% de nossos usuários ativos diários mensais durante o trimestre”. No entanto afirma que aplicou “julgamento significativo” à sua estimativa mais recente, e esse número pode ser maior. 

Atualmente os bots – como são chamadas as contas automatizadas do Twitter – são permitidos. De acordo com a política da empresa, essas contas devem indicar que são automatizadas. A plataforma até lançou um rótulo para bots “bons”, como @tinycarebot, uma conta que tuíta lembretes de autocuidado. Bots de spam, no entanto, não são permitidos, e o Twitter possui políticas destinadas a combatê-los.  

Combater contas falsas tem sido um dos pontos de Musk na tentativa de reformular o Twitter. Os planos do bilionário, anunciados junto com o valor para a compra, incluem autenticar todos os humanos e tornar seus algoritmos de código abertos. Musk também prevê a criação de assinaturas no Twitter para as contas verificadas. Segundo o bilionário, a intenção é tornar a plataforma um bastião da liberdade de expressão – isto é, remover as barreiras da moderação de conteúdo.

A suspensão ocorre também em meio a dúvidas crescentes de que Musk seria capaz de realizar sua aquisição do Twitter e de que o empresário pode considerar reduzir seu preço de licitação para o site.  De acordo com a Bloomberg, o spread do negócio, que oferece uma indicação de quanto Wall Street acredita que a aquisição será concluída, aumentou ainda mais na quinta-feira, para 9,11 dólares, de 8,11 dólares na sessão anterior. Esse foi o nível mais amplo desde que o bilionário lançou sua oferta no mês passado para comprar o Twitter por 54,20 dólares por ação – e o dobro da semana passada, quando anunciou um compromisso de financiamento de aproximadamente 7,1 bilhões de dólares.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês