Clique e assine com até 92% de desconto

Eletrobras quer 10% da receita saída do exterior em 2020

Por Da Redação 27 dez 2011, 18h00

Por Mônica Ciarelli

Rio de Janeiro – O presidente da Eletrobras, José da Costa, reafirmou hoje a intenção de internacionalizar a estatal, chegando em 2020 com 10% da receita vindo do exterior. “A disputa pela fatia de 21% do governo português no capital da EDP foi um aprendizado para a estatal”, lembrou. Segundo ele, a companhia brasileira chegou muito perto de levar a participação acionária, que acabou nas mãos de um grupo chinês.

Costa revelou que a Eletrobrás ofereceu 2,5 milhões de euros pelos 21% de participação na EDP, enquanto a chinesa ofertou 2,7 milhões de euros. Apesar de ter apresentado uma proposta financeira mais baixa, o executivo avalia que o plano estratégico da Eletrobras para EDP foi o melhor.

O projeto tinha como base transformar a Eletrobras na maior empresa de geração hidrelétrica do mundo e a EDP na maior em energia eólica. Para Costa, o que atrapalhou o processo foi o fato da estatal querer espaço para elevar sua participação para enfrentar qualquer disputa sobre o controle da empresa portuguesa caso os minoritários vendessem suas ações para uma empresa concorrente da Eletrobrás após a compra dos 21%.

Segundo ele, o governo português chegou a sinalizar que sem essa exigência, a Eletrobrás estaria em uma posição melhor. “Mas, essa era uma questão de ordem para nós”, disse. O presidente da Eletrobrás prometeu ainda que a partir de 2014 as distribuidoras controladas pela companhia passarão a dar lucro.

Continua após a publicidade
Publicidade