Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Eletrobras limita atuação de acionistas minoritários

Foi eleito apenas um representante dos pequenos investidores no Conselho de Administração da empresa - no ano passado haviam sido dois

Por Da Redação 1 Maio 2014, 11h33

Em Assembleia Geral Ordinária que escolheu na quarta-feira os novos membros do Conselho de Administração, a Eletrobras elegeu apenas um representante dos acionistas minoritários. Recentemente a companhia alterou sua política de governança corporativa. No ano passado, foram eleitos dois executivos – um que representava os interesses dos pequenos investidores detentores de ações ordinárias (com direito a voto no conselho) e outro de quem tinha ações preferenciais (sem direito a voto).

A vaga deste ano será ocupada por João Lian, até então conselheiro dos preferencialistas. “Fica parecendo que a empresa está indo contra a transparência”, comentou Lian.

Houve uma longa discussão jurídica entre a empresa e os minoritários presentes na reunião. O diretor financeiro e de relações com os investidores da Eletrobras, Armando Casado, que preside a Assembleia Geral Ordinária, prometeu levar os requerimentos dos minoritários à administração da companhia, para que a eleição de um representante dos preferencialistas seja avaliada futuramente pela empresa.

Leia também:

Aneel autoriza Eletrobras a assumir controle da Celg

Eletrobras tem o menor investimento para o 1º bimestre desde 2010

Também foi decidido que o secretário executivo do Ministério de Minas e Energia (MME), Márcio Zimmermann, permanece como presidente do Conselho de Administração – uma indicação da União. Foram reeleitos ainda para o colegiado por indicação do Executivo o atual presidente da Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto; o chefe de gabinete do MME, José Antonio Coimbra; o diretor de infraestrutura e insumos básicos do BNDES, Wagner Bittencourt; o chefe de gabinete do Tesouro Nacional, Lindemberg de Lima Bezerra; e o secretário do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Ministério do Planejamento, Maurício Muniz.

Além disso, Emanuel Mendes, foi eleito conselheiro representante dos empregados da Eletrobras. Os acionistas da estatal também elegeram os membros do Conselho Fiscal.

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade