Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

“É impossível não sentir vergonha pelo Brasil”, diz Barroso

Ministro do STF falou sobre valores éticos no mundo contemporâneo no fórum “A Revolução do Novo”, realizado por VEJA e EXAME em parceria com a Coca-Cola

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou nesta segunda-feira (5) que “é impossível não sentir vergonha pelo que acontece no Brasil”. O ministro palestrou no terceiro encontro do fórum A Revolução do Novo – A Transformação do Mundo, realizado por VEJA e EXAME em parceria com a Coca-Cola, no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo.

O evento discute mudanças na economia, política, tecnologia e sociedade. Barroso abordou o tema “O impacto, a evolução e o futuro dos valores éticos no mundo contemporâneo”.

Para o ministro, o país está devastado e com autoestima baixa, diante da corrupção institucionalizada. “Ela se tornou um modo de vida. As pessoas se surpreendem com o que, de certa forma, sempre souberam”, disse.

Segundo Barroso, é preciso mudar a cultura em que os espertos são mais valorizados do que os honestos. “Sempre foi assim, mas é preciso deixar de ser. O custo moral e econômico pelo qual estamos passando tem que significar um novo começo”, afirmou.

O ministro acrescentou que não dá para descartar o risco de uma “operação abafa” contra a Lava Jato e o combate à corrupção institucionalizada, mas que “todos estão aqui para evitá-lo”. Também defendeu as reformas política, previdenciária e tributária como essenciais para o país.

Com uma visão otimista, Barroso lembrou que há realizações importantes para celebrar em trinta anos de democracia no Brasil, como a derrota da ditadura, da inflação e da pobreza extrema. Do ponto de vista econômico, destacou que no país ainda há uma grande desconfiança em relação à livre-iniciativa do capitalismo. “Vivemos em um socialismo com sinal trocado”, disse.

O ministro destacou que não é só o Brasil que vive um momento de desprestígio da democracia representativa, mas o mundo também. Barroso lembrou ainda que a revolução digital preservou valores como a liberdade, mas pôs em xeque questões como a privacidade e a veracidade das informações.

Para o ministro, o empoderamento feminino e a proteção dos direitos humanos são discussões-chave do mundo contemporâneo. “A história avança para o bem. A busca da felicidade, o respeito ao próximo e à justiça são os valores de ontem e continuam a ser os valores do futuro”, afirmou.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. È impossível não sentir vergonha dos Três Poderes da República, dito ministro.

    Curtir

  2. Paulo Mariano

    Uai…é para rir ou chorar? Enquanto um pobre juiz de primeira instância prende o bandido e o STF mandar soltá-lo vamos ter mesmo que bradar aos quadrantes que temos vergonha de ser brasileiro.

    Curtir

  3. Rosi Gammino

    Morro de vergonha desse ministro PETRALHA e vaidoso. Parece um pavão.

    Curtir

  4. Ciro Lauschner

    E impossível que um defensor de assassino acabe sendo recompensado por um partido que os defende para ser ministro da Suprema Côrte do Brasil. É a suprema vergonha!

    Curtir

  5. Ezequiel Lima Feitosa Ezequiel

    A vergonha é tanta que tem ministro do STF almocando com o Joesley.

    Curtir

  6. Ezequiel Lima Feitosa Ezequiel

    A vergonha é tanta que tem ministro do STF almocando com o Joesley.

    Curtir

  7. Marcos Ficarelli

    Sinceramente, eu não gosto dele. Não gostava de suas posições ambíguas e perigosíssimas. Agora ele está na ribalta e quer aparecer e vejo que não tem nada a falar exceto o genérico. Ensaboado de primeira.

    Curtir

  8. Fernando Silveira

    É impossível não sentir vergonha do STF.

    Curtir

  9. Me leva a pensar, será que ele sente vergonha dele mesmo, afinal a linha de atuação tem sido vergonhosa…Ô juizada ligada num holofote, ai vem aquele blablabla que são muitos processos coisa assim, mas dá tempo pra dar palestras e tirar 3 meses de férias e ter todos aqueles penduricalhos salariais que não se justificam NÉ…

    Curtir

  10. Ataíde Jorge de Oliveira

    EççeS juiZeCCoS, TODOS
    ,TêM uma Dívida de 500
    anos de ïN_justiça com
    a NAÇãO. Sem ConPTaR
    de boa : rapaziad@LegRE
    do MP & pgR_Çei_Lá o Q

    Curtir