Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Grupo do Aliexpress bate recorde de vendas no Dia dos Solteiros

Data que começou como uma brincadeira de estudantes chineses hoje movimenta mais dinheiro do que a Black Friday nos EUA

Por EFE - Atualizado em 11 nov 2018, 17h20 - Publicado em 11 nov 2018, 17h19

Pouco menos de 16 horas foram necessárias para que o gigante de comércio eletrônico Alibaba, dono do site Aliexpress, superasse seu próprio recorde de vendas no Dia dos Solteiros na China, espécie de Black Friday do país asiático, comemorado neste domingo.

No ano passado, a rede tinha arrecadado 25,3 bilhões de dólares (quase 95 bilhões de reais). Já neste ano, o Alibaba arrecadou 30,8 bilhões de dólares, cerca de 115,5 bilhões de reais.

Neste domingo, em apenas 1 minuto e 25 segundos o comércio chinês movimentou 1 bilhão de dólares (cerca de 3,75 bilhões de reais). Em 1 hora e 48 segundos, chegou-se a 10 bilhões de dólares (cerca de 37,5 bilhões de reais). A maior parte das compras foram feitas nos portais de venda pela internet do grupo Alibaba Tmall e Taobao.

As promoções também chegaram a outras partes do mundo através da plataforma Aliexpress, a versão internacional com a qual o grupo trabalha em outros países, e a Lazada, a plataforma do sudeste asiático que funciona em Singapura, Malásia, Tailândia, Indonésia, Filipinas e Vietnã.

Publicidade

Durante o Dia dos Solteiros, o Aliexpress vendeu, por exemplo, o smartphone Asus Zenfone 5Z por 475 dólares – geralmente, ele custa 720 dólares. Já os fones de ouvido modelo Gaming da Xiaomi, que geralmente saem por 80 dólares, poderiam ser adquiridos por 49 dólares.

O que é o Dia dos Solteiros

A data foi criada como uma brincadeira de estudantes da Universidade de Nanquim em 1993, mas foi abraçada pelo Alibaba em 2009, quando a companhia resolveu oferecer descontos para os solteiros que queriam se presentear. A ação cresceu e se tornou um ícone para os consumidores chineses.

Durante as 24 horas do Dia dos Solteiros ou Duplo 11, celebrado no dia 11 do mês 11, costumam ocorrer mais do que o dobro de vendas do que na Black Friday e na Ciber Monday juntas, dias nos quais os comércios dos Estados Unidos lançam suas ofertas.

Publicidade