Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dívida do Brasil recua 2,09% em janeiro

Segundo informações do Tesouro, a dívida pública do país fechou o primeiro mês do ano a R$ 2,247 trilhões

O estoque da Dívida Pública Federal (DPF) caiu 2,09% em janeiro (o equivalente a 48,015 bilhões de reais), atingindo 2,247 trilhões de reais, informou o Tesouro Nacional nesta quinta-feira. Em dezembro, o estoque estava em 2,295 trilhões de reais. A correção de juros no estoque da DPF foi de 21,930 bilhões de reais no mês passado.

A DPF inclui a dívida interna e externa. A Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) recuou 2,09% fechando o mês em 2,137 trilhões, enquanto a Dívida Pública Federal externa (DPFe) caiu 2,10%, para 109,93 bilhões.

A parcela da DPF a vencer em 12 meses subiu de 24,03% em dezembro para 25,59% em janeiro, segundo o Tesouro Nacional. O prazo médio da dívida subiu de 4,42 anos em dezembro para 4,59 anos. Já o custo médio acumulado em 12 meses da DPF teve redução de 11,84% ao ano em dezembro para 11,78% ao ano em janeiro.

Leia mais:

Arrecadação federal cai 5,4% em janeiro e tem pior resultado para mês desde 2012

Tipos de dívida – A parcela de títulos prefixados na DPF caiu de 41,58% em dezembro do ano passado para 39,01% em janeiro. Segundo os parâmetros estabelecidos pelo Plano Anual de Financiamento (PAF) no início deste mês, a participação dos títulos prefixados no total da dívida está abaixo da banda mínima, que é de 40%.

Os papéis atrelados à Selic aumentaram a fatia de 18,66% para 19,82%. Os títulos remunerados pela inflação também subiram, para 36,29% do estoque da DPF em janeiro, ante 34,91% em dezembro. O total de papéis cambiais ficou praticamente estável na DPF, passando de 4,85% em dezembro para 4,88% em janeiro.

Com exceção dos prefixados, todos os papéis estão dentro das metas do PAF. O intervalo do objetivo perseguido pelo Tesouro para os títulos remunerados pela Selic em 2015 vai de 17% a 22%. No caso dos que têm índices de preço como referência, a meta é de 33% a 37% e, no de câmbio, de 4% a 6%.

Leia também:

Governo tem rombo de R$ 17,24 bi em contas de 2014, pior desempenho desde 1997

Estrangeiros – Os investidores estrangeiros aumentaram a compra de títulos do Tesouro Nacional em janeiro. A participação desse público no estoque da DPMFi cresceu de 18,64% em dezembro para 20,21% em janeiro, somando 432,07 bilhões de reais. Em dezembro, o estoque estava em 406,96 bilhões de reais.

A categoria das instituições financeiras teve queda na participação do estoque da DPMFi de 29,77% em dezembro para 27,70% em janeiro. Os Fundos de Investimentos aumentaram levemente a fatia de 20,28% para 20,35%. Já as seguradoras tiveram crescimento na participação de 4,09% para 4,17%.

(Com Estadão Conteúdo)