Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Dispara venda de spinners, nova mania entre crianças e jovens

Brinquedo criado para ajudar crianças com transtornos já causou acidentes e foi proibida em algumas escolas norte-americanas

Por Da redação Atualizado em 21 jun 2017, 12h55 - Publicado em 8 jun 2017, 16h03

O fidget spinner, brinquedo de mão de girar, está fazendo sucesso entre os jovens brasileiros, depois de se tornar febre nos Estados Unidos e Europa. Desde que chegou ao Brasil, em meados de maio, as vendas do produto não param de crescer.

Uma das primeiros lojas a comercializar o produto foi a ToyShow. Nas duas primeiras semanas o site vendeu mais de 10 mil unidades. Os preços do spinner variam entre 29 e 299 reais, dependendo do modelo.

O brinquedo também pode ser encontrado em camelôs, bancas de jornais, varejistas e sites de venda. Os sites da Casas Bahia, Extra e Pontofrio vendem spinners desde a primeira quinzena de maio. Desde então, as vendas do brinquedo seguem trajetória crescente. Novos modelos chegam às lojas no dia 16 desde mês. Na Ri Happy, o produto começa a ser vendido entre os dias 20 a 30 de junho, com preço a partir de 20 reais.

O gerente da ToyShow, Paulo Bucino afirma que a procura pelo brinquedo deve continuar até o Dia das Crianças. “A nossa expectativa é de crescimento, já que as crianças desejam ter vários spinners, de modelos e cores diferentes. Com o sucesso do produto, cada vez mais pessoas estão se interessando pelo brinquedo, não apenas as crianças”.

As vendas do brinquedo de três pontas cresceram 73 vezes entre os meses de março e maio no site do Mercado Livre. No mesmo período, a busca pela palavra “spinner” registrou um aumento de 15 vezes no portal.

O objeto feito de metal ou plástico foi criado em 1990 nos Estados Unidos para ajudar crianças com déficit de atenção e hiperatividade, como destacou a VEJA desta semana.

Atualmente, o spinner também é usado como alternativa para alívio do estresse e ansiedade. Entretanto, o brinquedo já causou acidentes. De acordo com o site Irish Examiner, a atriz Ayoola Smart precisou se retirar de uma peça de teatro depois de ter sido atingida na cabeça pelo spinner e sofrer uma concussão. Ayoola estaria em uma loja quando uma criança se aproximou com o brinquedo e perdeu o controle do dispositivo, atingindo a atriz atrás da orelha.

Continua após a publicidade

Em sua conta do Instagram, a atriz publicou uma foto relatando um acidente envolvendo uma criança e o spinner. “Eu estou tão triste de não poder fazer parte dessa jornada mágica com um elenco e equipe brilhantes”, contou, em referência à peça.

Algumas escolas norte-americanas proibiram o uso do brinquedo, que acaba distraindo as crianças. Mas nem por isso o aparelho deixou de fazer sucesso no Brasil.

A atriz Millie Bobby Brown, da série Stranger Things, aderiu à mania. Ela postou várias fotos e vídeos com o brinquedo.

View this post on Instagram

Addicted

A post shared by mills (@milliebobbybrown) on

 

View this post on Instagram

challenge accepted

A post shared by mills (@milliebobbybrown) on

Faça você mesmo

Mania nas mãos das crianças, os modelos caseiros começaram a fazer sucesso na internet. Em um vídeo com mais de cinco milhões de visualizações, o canal do YouTube Manual do Mundo ensina os internautas a construir o brinquedo com quatro materiais: Rolamento de skate, cano de PVC, super cola e bicarbonato de sódio.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)