Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Dieese: custo de vida em SP fica 0,69% mais caro

Por Da Redação - 6 out 2011, 12h44

Por Flávio Leonel

São Paulo – O Índice do Custo de Vida (ICV) apresentou taxa de 0,69% em setembro na cidade de São Paulo, segundo informação divulgada hoje pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O resultado apurado representou uma aceleração de 0,30 ponto porcentual ante a inflação verificada em agosto, de 0,39%.

No acumulado dos primeiros nove meses de 2011, o ICV atingiu taxa de 4,69%. Nos últimos 12 meses encerrados em setembro, a taxa acumulada alcançou o nível de 7,45%.

Em setembro, de acordo com o Dieese, quatro foram os grupos que mais colaboraram com o aumento da inflação: Saúde, com alta de 1,72%; Alimentação (0,82%); Habitação (0,56%); e Transporte (0,58%). Juntos, eles contribuíram com 0,70 ponto porcentual da taxa geral do ICV.

Publicidade

No grupo Saúde, a variação de 1,72% foi motivada principalmente pelo comportamento do subgrupo Assistência Médica (2,13%), consequência dos reajustes dos seguros e convênios médicos (2,57%), que contribuíram com 0,23 ponto porcentual no cálculo da inflação de setembro.

Quanto à Alimentação, os comportamentos dos subgrupos foram de alta, mas em níveis com intensidades diferentes. O subgrupo Produtos In Natura e Semielaborados avançou 1,02%; os Produtos da Indústria Alimentícia, 0,64%; e a Alimentação Fora do Domicílio subiu 0,72%.

A alta de 0,56% do grupo Habitação foi resultado, principalmente, do reajuste de 6,83% determinado pela Companhia de Saneamento Básico São Paulo (Sabesp) para a tarifa de água e esgoto. Segundo o Dieese, o item que capta o reajuste pelo ICV mostrou alta de 3,42% em setembro e deve sofrer impacto também no mês de outubro.

Quanto ao grupo Transporte, o avanço de 0,58% foi motivado pelo comportamento dos subgrupos Transporte Individual (alta de 0,74%) e Transporte Coletivo (0,23%). O primeiro foi influenciado pela elevação acentuada no preço do álcool combustível (4,04%). O segundo sofreu reflexo, de acordo com o Dieese, de um aumento na tarifa dos ônibus interestaduais, da ordem de 5,50%.

Publicidade

Em relação aos demais grupos pesquisados, o Dieese avaliou que estes conjuntos de preços apresentaram “variações pequenas”, não alterando significativamente o cálculo da taxa de inflação de setembro. No campo das altas, os grupos Vestuário e Educação tiveram variações de 0,49% e de 0,05%, respectivamente. No campo das quedas, a instituição apurou as seguintes variações: Equipamentos (-0,86%), Despesas Diversas (-0,38%), Recreação (-0,11%) e Despesas Pessoais (-0,02%).

Publicidade