Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Desemprego na Grã-Bretanha é o maior desde 1994

Problema já atinge 8,1% da população. Se considerar apenas os jovens entre 16 e 24 anos, taxa sobe para 21,3%

Por Da Redação 12 out 2011, 11h38

Cortes profundos nos gastos do estado britânico eliminarão mais de 300 mil vagas no setor público nos próximos anos

O desemprego na Grã-Bretanha atingiu o maior nível desde 1994, com maior impacto sentido entre os jovens. As demissões no setor público não estão conseguindo ser compensadas pelas empresas privadas, aumentando a pressão para que o governo dê mais incentivos à economia. Soma-se a isso que cortes profundos nos gastos do estado britânico eliminarão mais de 300 mil vagas no setor público nos próximos anos. A economia beira novamente a recessão, com consumidores apertando os cintos e os mercados de exportação desacelerando, especialmente na Europa.

“O que nós estamos vendo, eu temo, é o impacto da crise financeira internacional, dos problemas na zona do euro sobre a economia deste país”, disse o ministro de Emprego, Chris Grayling. O governo foi rápido em culpar a crise financeira global e os problemas da zona do euro pela alta do desemprego, que agora afeta 2,57 milhões de pessoas. Mas os pedidos para que os planos de rigor fiscal sejam aliviados aumentaram, com temores crescentes de que haja uma “geração perdida” de jovens sem esperança de emprego.

A agência de estatísticas oficial ONS disse nesta quarta-feira que o número de pessoas sem trabalho na medida da Organização Internacional do Trabalho (ILO) aumentou em 114 mil nos três meses até agosto, para 2,57 milhões. É o maior total desde outubro de 1994. A taxa de desemprego alcançou 8,1 % da população, a maior desde 1996. A número de jovens desocupados subiu a 991 mil, maior nível desde que os registros começaram, em 1992, levando para 21,3% a taxa de desemprego dos britânicos entre 16 e 24 anos de idade.

(com Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade