Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Desemprego em São Paulo sobe para 12,2% no segundo trimestre

Patamar é o mais alto para o Estado desde o início da série histórica do indicador do IBGE, em 2012

A taxa de desocupação no Estado de São Paulo ficou em 12,2% no segundo trimestre, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa é a maior desde o início da série histórica da Pnad Contínua Trimestral, em 2012.

No mesmo período do ano passado, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua em São Paulo estava em 9%. No primeiro trimestre deste ano, o indicador ficou em 12%.

A renda média real dos chefes de família em São Paulo foi de 2.482 de reais no segundo trimestre,abaixo dos 2.574 reais do trimestre anterior. No mesmo período de 2015, o indicador foi de 2.665 reais.

Leia mais:
Governo estuda novo programa para salvar empregos – sem subsídios

Desde janeiro de 2014, o IBGE passou a divulgar a taxa de desocupação em bases trimestrais para todo o território nacional. A nova pesquisa substitui a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), que abrangia apenas as seis principais regiões metropolitanas, e também a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) anual, que produz informações referentes somente ao mês de setembro de cada ano.

No último dia 29, o IBGE divulgou os resultados gerais do mercado de trabalho apenas para o total do país. A taxa de desocupação foi de 11,3% no segundo trimestre.

Segundo o instituto, o resumo da pesquisa anual foi publicado antes dos dados desagregados por regiões para evitar grande defasagem de tempo entre a coleta e a divulgação. Os resultados por regiões foram conhecidos apenas nesta quarta porque a equipe não tinha tempo hábil para fazer o detalhamento em um curto período de tempo, explicou o IBGE.

(Com Estadão Conteúdo)