Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Crise europeia e desaceleração na China congelam IPOs globais

* IPO da Graff Diamonds é 4a grande operação a ser cancelada esta semana

* Decisão da Graff lança dúvidas sobre IPO da Fórmula 1 e outras operações

Por Elzio Barreto e Kylie MacLellan

HONG KONG/LONDRES, 31 Mai (Reuters) – A joalheria de luxo britânica Graff Diamonds abandonou seus planos para um IPO de 1 bilhão de dólares nesta quinta-feira, em meio à volatilidade dos mercados internacionais, que ameaça congelar um mercado já moribundo para os novas listagens de Hong Kong a Nova York.

Globalmente, o valor arrecadado com IPOs até agora neste ano está 46 por cento abaixo do mesmo período de 2011. Hong Kong, um dos mercados mais movimentados para IPOs nos últimos anos, tem visto uma queda particularmente dramática, com volumes de operações recuando 85 por cento nos primeiros cinco meses de 2012 sobre um ano antes.

Enquanto a Europa, que tem sido atingida pela crise de dívida da zona do euro, praticamente não tem visto atividade de IPOs há quase um ano, os Estados Unidos vinham se mostrando até recentemente mais resistentes às turbulências que afugentaram IPOs.

Porém, tudo isso mudou no início deste mês, com o mercado agora sofrendo as conseqüências do fiasco do IPO do Facebook .

A queda do mercado tende a exercer pressão sobre outros IPOs planejados, tais como o da empresa organizadora das corridas de Fórmula 1, de 3 bilhões de dólares, em Cingapura. Apesar das expectativas de que o negócio seja precificado no próximo mês, o presidente do conselho da Fórmula 1, Peter Brabeck, disse na semana passada que ainda tem que dar uma aprovação final para a operação.

“O apetite por novas listagens está muito fraco por causa da situação macroeconômica”, disse Eugene Mak, analista da corretora Core Pacific Yamaichi, em Hong Kong.

Graff, o quarto maior IPO a ser cancelado na Ásia esta semana, deveria ser precificado em Hong Kong na sexta-feira. Mas os investidores retrocederam, assustados por temores do mercado sobre a crise de dívida da zona do euro e desaceleração econômica da China.

Alguns analistas e gestores de fundos já tinham começado a questionar o valor da Graff, antes da baixa global dos mercados na quarta-feira, citando uma desaceleração nos gastos com luxo na China.

A joalheria, que planejava levantar capital para impulsionar seus negócios na Ásia, retirou seu IPO depois que os mercados europeu e norte-americanos caíram mais de 1 por cento na quarta-feira.As bolsas da Ásia seguiram o exemplo nesta quinta-feira, com o índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pácifico recuando 1,6 por cento.

A rival Tiffany & Co aumentou a pressão, reduzindo sua previsão de vendas na semana passada e culpando uma demanda mais lenta em mercados importantes, como a China.

“Bolsas de valores em declínio consistente provaram ser uma barreira significativa para executar a operação neste momento”, afirmou a Graff em comunicado.

A queda nas ações da Ásia na semana passada já atrapalhou três IPOs importantes, que tinham como objetivo levantar um total combinado de até 1,37 bilhão de dólares: dois em Hong Kong e um em Cingapura.

O valor dos IPOs cancelados de 46 operações na Ásia com exceção do Japão saltou para 7,7 bilhões de dólares até agora em 2012,acima dos 5,8 bilhões, segundo dados da Thomson Reuters. Hong Kong representou a maior parte das ofertas canceladas.

O índice acionário de referência de Hong Kongdespencou 12 por cento desde 7 de maio, quando executivos da Graff, seus banqueiros e conselheiros começaram a reunir investidores institucionais e gestores de fundos para avaliar a demanda para a oferta.

Enquanto isso, ações do setor de bens de luxo têm sido particularmente atingidas, com a Chow Tai Fook caindo cerca de 23 por cento sobre o mesmo período, e a Tiffany recuando 14 por cento.

Credit Suisse, Deutsche Bank, Goldman Sachs e Morgan Stanleyforam contratados como coordenadores globais conjuntos no IPO da Graff. A Rothschild atuou como consultora financeira para a empresa britânica.

CRISE DE CONFIANÇA

O aguardado IPO do Facebook, que foi atingido por problemas técnicos que interromperam o seu primeiro dia de negociação, processos de investidores e uma queda de mais de 25 por cento no preço de suas ações, também abalou a confiança do investidor.

Doze 12 IPOs nos EUA foram retirados ou adiados em maio.

“Isso criou uma crise de confiança”, disse Scott Sweet, sócio-gerente da Boutique IPO. “As empresas com processos de IPO em andamento, continuarão em andamento. Não há nenhuma razão para sair correndo quando o maior deles veio e se foi, deixando uma impressão negativa.”

Por enquanto, as empresas continuam a avançar com ofertas na Ásia. A Malásia lançou nesta quinta-feira o maior IPO da Ásia até agora neste ano: uma oferta de 3 bilhões de dólares da Felda Global Ventures Holdings, a terceira maior operadora de plantações de palmeiras do mundo. A empresa se prepara para a estreia de seus papéis no mercado em 28 de junho.

A Felda não deverá sofrer o mesmo destino da Graff. Investidores importantes estão assumindo cerca de dois terços das ações e o governo da Malásia está usando a venda para distribuir mais de 500 milhões de dólares a dezenas de milhares de proprietários de terra antes de esperadas eleições.

O maior IPO ainda em preparação na Ásia é o da seguradora estatal chinesa PICC Group, que pretende levantar até 6 bilhões de dólares em uma listagem dupla em Hong Kong e Xangai.

REUTERS AAJ FC