Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Consultas de empresas ao BNDES caem 13,9% no 1º trimestre

Diminuição do número de consultas deve levar à queda de desembolsos neste ano, segundo especialistas

Reflexo do pífio crescimento econômico, o número de consultas por empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) caiu 13,9% no primeiro trimestre deste ano, segundo estudo do Instituto de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV). Ao todo, essas consultas – a primeira fase para o desembolso de recursos – somaram 47,2 bilhões de reais entre janeiro e março. Este patamar é semelhante aos números de 2007 e 2008, anos de crise financeira mundial.

O recuo das consultas ao BNDES reflete os baixos índices de confiança na economia, tanto entre empresários como entre consumidores: sem perspectivas de crescimento, os empresários resistem a expandir sua produção.

Além das consultas, os enquadramentos (quando o projeto foi aceito para ser analisado) e as aprovações de empréstimos também caíram nos três primeiros meses do ano. Contudo, os desembolsos de recursos já aprovados cresceram – de 18,3% para 20,5% da formação bruta de capital fixo (FBCF, a conta dos investimentos no PIB) – e chegaram a 3,6% do PIB no período, contra 3,3% em 2013. Contudo, economistas acreditam que o desembolso tende a cair, refletindo a diminuição das consultas. Para o pesquisador do Ibre/FGV e autor do estudo, Gabriel Leal de Barros, o ritmo dessa queda dos empréstimos dependerá de como a economia se comportará este ano.

Leia também:

BNDES está revendo estratégia de redução de investimentos

Presidente do BNDES diz que ‘não aplica nenhum centavo lá fora’

Após críticas da S&P, BNDES diz que reduzirá participação no crédito

Brasil terá investimento de R$ 4 tri até 2017, diz BNDES

(com Estadão Conteúdo)