Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Construtoras oferecem de entrada zero a escritura no Feirão da Caixa

Feirão da Caixa oferece 202 mil imóveis e reúne no mesmo local construtoras, banco e cartório

Descontos, entrada zero, Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e escritura gratuitos são alguns dos atrativos que as construtoras estão levando para esta edição do Feirão Caixa da Casa Própria, que começa nesta sexta-feira em São Paulo (SP), Salvador (BA) e Porto Alegre (RS). Em São Paulo, o evento acontece no Pavilhão de Exposições do Anhembi até domingo – confira o endereço das outras cidades aqui.

Em uma segunda etapa, que vai de 18 a 20 de maio, o Feirão vai para Belo Horizonte (MG), Goiânia (GO), Rio de Janeiro (RJ), São Luís (MA) e Uberlândia (MG). Por fim, de 25 a 27 de maio, o feirão será realizado em Brasília (DF), Belém (PA), Campinas (SP), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE) e Recife (PE).

Ao todo são 202.000 imóveis ofertados em quinze cidades brasileiras e que terão a possibilidade de usar todas as modalidades de crédito habitacional do banco.

A Cury Construtora participa do evento com 2.000 unidades nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, com valores a partir de 171 mil reais para São Paulo e 150 mil reais para imóveis do Rio. A empresa oferece ITBI e a escritura gratuitos a quem fechar negócio no feirão. Juntos, imposto e documentação representam 4% do valor total do imóvel.

“Para as unidades em lançamento, vamos oferecer a entrega de piso laminado no quarto”, diz o diretor de negócios da Cury, Leonardo Mesquita. Em um dos empreendimentos é possível ainda ter desconto de 50 mil reais. “O produto cai de 280 mil reais para 230 mil reais”, comenta o executivo.

A MRV Engenharia tem 34 mil unidades disponíveis em todas as cidades em que a Caixa fará o Feirão, com valores a partir de 130 mil reais. Para alguns dos empreendimentos, a empresa oferece ITBI e registro do contrato gratuitamente. Dependendo da unidade escolhida, a entrada pode ser zero ou facilitada em até 60 vezes. “Planejamos lançar mais 6.000 imóveis para atender aos Feirões”, diz o diretor de marketing e vendas da MRV, Rodrigo Resende.

A companhia vende, em média, 4.000 apartamentos por mês. No ano passado, conseguiu fechar 2.159 reservas. “É uma aposta alta para o mês de maio, porque o Feirão movimenta bastante o mercado”, comenta Resende.

Na Construtora Tenda são 5.000 imóveis disponíveis nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Porto Alegre, Recife, Belo Horizonte, Curitiba e Goiânia, com valores a partir de 135 mil reais. “Só na capital paulista e região metropolitana são 1.000 unidades para venda”, comenta a diretora de negócios da Tenda, Daniela Ferrari.

Entrada zero, condições especiais para famílias com renda a partir de 1.200 reais, isenção da taxa de abertura de crédito ou corretagem, do ITBI e do registro são os diferenciais para quem adquirir um apartamento da empresa durante o evento.

Cuidados

A possibilidade de realizar o sonho da casa própria requer, no entanto, alguns cuidados, alerta o advogado Arthur Ongaro, do escritório Corrêa, Ongaro, Sano Advogados Associado. Antes da compra, além da análise que envolve a localização do imóvel, estado de conservação, infraestrutura da região, valor do bem e disponibilidade de recursos financeiros, uma das questões mais importantes é em relação à documentação necessária para a efetivação de uma transação segura, ou seja, uma avaliação jurídica detalhada do vendedor e do próprio imóvel.

Segundo Ongaro, o consumidor também deve observar atentamente as cláusulas contratuais, em especial as que estabelecem as condições de pagamento, ocupação, demandas judiciais existentes e débitos relativos ao imóvel. “Tudo isso deve ser muito bem analisado para se ter uma boa compra. Na ausência dessas informações, o consumidor pode acabar adquirindo um problema”, adverte o advogado.

Dicas para uma boa compra

1) Pesquise: apure os preços que as construtoras praticavam antes do Feirão. A internet é uma ótima ferramenta. É possível encontrar anúncios de imobiliárias ou corretores de alguns meses atrás, muito importante para fugir das falsas ofertas.

2) Vá com calma: não se empolgue no primeiro estande. Visite vários e compare as condições, o tipo de produto e avalie o custo-benefício.

3) Analise seu orçamento: avalie seu orçamento de forma bastante conservadora e lembre-se que a prestação não pode comprometer mais de 30% da renda familiar.

4) Financiamento: apesar de muita gente estar preocupada com os juros do financiamento, ele ainda pode ser uma forma importante de viabilizar uma boa compra, especialmente agora que a maioria das instituições estão reduzindo suas taxas.

5) Outros custos: pergunte aos incorporadores o valor estimado do condomínio, mesmo que o prédio ainda esteja em obra, para você poder calcular seus gastos.

6) Documentação: Junte toda a documentação referente à negociação do imóvel. Elas deverão compor um dossiê sobre o processo de compra e venda da unidade.