Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Congresso instala comissão para analisar MP da energia

O deputado Jilmar Tatto (PT-SP) foi eleito presidente e o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) foi escolhido como relator

O Congresso Nacional instalou nesta quarta-feira a comissão especial mista destinada a analisar a Medida Provisória 579, que reduz as tarifas de energia elétrica e estabelece regras para a renovação das concessões. O deputado Jilmar Tatto (PT-SP) foi eleito presidente e o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) foi escolhido como relator. O vice-presidente será o senador Delcídio do Amaral (PT-MS) e o revisor será o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A primeira reunião de planejamento da comissão será realizada no dia 31 de outubro, às 14h.

A MP 579 recebeu 431 emendas de deputados e senadores, mas Calheiros avaliou que cerca de 30 são relevantes. “O papel do Congresso é aprimorar a MP e qualquer emenda que atender ao interesse nacional será atendida. Não hesitaremos em relação a isso”, afirmou. Tatto disse que muitas das emendas são repetitivas e não têm relação com o setor. “Vamos ter que fazer eventualmente algumas audiências públicas, conversar com o setor, governo, trabalhadores e empresários”, disse.

O senador reconheceu que há pressão por emendas que alterem o conteúdo da MP. Uma delas prevê a possibilidade de que as usinas que nunca tiveram a concessão prorrogada possam renová-la mais uma vez, sem redução das tarifas e da remuneração da concessionária. Essa emenda beneficiaria a Cemig, que possui três hidrelétricas nessa situação e não apresentou pedido para renovar esses contratos à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A orientação do governo, porém, é evitar que a MP seja alvo de mudanças substanciais.

“Isso não está previsto na MP. Qualquer coisa nessa direção teria que preponderar na apreciação e na sanção da presidente”, afirmou o senador. “O objetivo é a redução da tarifa e a redução de encargos, e é óbvio que vai haver uma pressão muito grande para que isso não aconteça”, acrescentou.

O Congresso também instalou a comissão especial mista da MP 577, que permite ao governo intervir em empresas do setor elétrico com dificuldades financeiras, caso do Grupo Rede, que já está sob intervenção. Para a MP 577, foram eleitos o deputado Fernando Ferro (PT-PE) como presidente e o senador Romero Jucá (PMDB-RR) como relator.

Leia também:

Setor elétrico planeja investir 40% mais em 8 anos

Cemig não vai renovar concessão de três hidrelétricas

Eletrobras pede renovação de concessões

CPFL quer cinco das oito distribuidoras da Rede Energia

Aneel decreta intervenção em oito distribuidoras da Rede Energia

Pacote e revisão vão reduzir energia em até 26%

(Com Agência Estado)