Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Confiança do empresário industrial atinge menor nível desde agosto, diz CNI

Queda em índice pode resultar em dificuldade de crescimento de investimentos no setor, aponta

Por Da Redação 16 abr 2013, 15h54

A confiança do empresário industrial brasileiro caiu pelo segundo mês consecutivo em abril e atingiu o menor valor registrado deste agosto de 2012, segundo divulgou nesta terça-feira a Confederação Nacional da Indústria (CNI). O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei), medido pela instituição, diminuiu 1,7 ponto neste mês na comparação com março, atingindo a marca de 55,4 pontos. Comparado a abril do ano passado, a queda foi de 1,8 ponto.

O levantamento foi realizado entre 1° e 11 de abril, com 2.185 empresas de todo o país. O índice varia de 0 a 100 pontos. Os valores acima de 50 indicam que os empresários estão confiantes.

O relatório da CNI aponta que a confiança recuou de forma disseminada na indústria de transformação e no segmento da construção. Houve crescimento da confiança apenas na indústria extrativa. Desde janeiro deste ano, o índice ficou abaixo dos valores registrados no mesmo período em 2012. Para a CNI, a queda na confiança “pode resultar em dificuldade de crescimento dos investimentos por parte da indústria”.

A região do país com menor índice de confiança, tanto em abril quanto no mês passado, foi o Sudeste, que registrou 52,4 pontos neste mês. No Centro-Oeste, estão os empresários mais otimistas neste mês: lá, o Icei foi de 59,5 pontos.

Os empresários com indústrias de pequeno (53,7 pontos) e médio porte (53,9) estão menos confiantes que os que administram empresas de grande porte, que registraram índice de 56,9 pontos.

Continua após a publicidade

O Icei também mede as expectativas dos empresários para os próximos seis meses. O índice foi de 59,6 pontos, o que representa uma queda de 1,8 ponto ante março. Em relação à economia brasileira, o Icei passou de 56,3 pontos para 54,1 pontos. Sobre a própria empresa, a expectativa caiu 1,6 pontos, de 64 para 62,4 pontos.

Leia também:

Confiança do consumidor sobe em março, apura CNI

Custo da indústria é o maior em quatro anos

Indústrias não têm espaço para mais dívidas, diz CNI

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês