Clique e assine a partir de 9,90/mês

Confiança do empresário industrial atinge menor nível desde agosto, diz CNI

Queda em índice pode resultar em dificuldade de crescimento de investimentos no setor, aponta

Por Da Redação - 16 abr 2013, 15h54

A confiança do empresário industrial brasileiro caiu pelo segundo mês consecutivo em abril e atingiu o menor valor registrado deste agosto de 2012, segundo divulgou nesta terça-feira a Confederação Nacional da Indústria (CNI). O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei), medido pela instituição, diminuiu 1,7 ponto neste mês na comparação com março, atingindo a marca de 55,4 pontos. Comparado a abril do ano passado, a queda foi de 1,8 ponto.

O levantamento foi realizado entre 1° e 11 de abril, com 2.185 empresas de todo o país. O índice varia de 0 a 100 pontos. Os valores acima de 50 indicam que os empresários estão confiantes.

O relatório da CNI aponta que a confiança recuou de forma disseminada na indústria de transformação e no segmento da construção. Houve crescimento da confiança apenas na indústria extrativa. Desde janeiro deste ano, o índice ficou abaixo dos valores registrados no mesmo período em 2012. Para a CNI, a queda na confiança “pode resultar em dificuldade de crescimento dos investimentos por parte da indústria”.

A região do país com menor índice de confiança, tanto em abril quanto no mês passado, foi o Sudeste, que registrou 52,4 pontos neste mês. No Centro-Oeste, estão os empresários mais otimistas neste mês: lá, o Icei foi de 59,5 pontos.

Continua após a publicidade

Os empresários com indústrias de pequeno (53,7 pontos) e médio porte (53,9) estão menos confiantes que os que administram empresas de grande porte, que registraram índice de 56,9 pontos.

O Icei também mede as expectativas dos empresários para os próximos seis meses. O índice foi de 59,6 pontos, o que representa uma queda de 1,8 ponto ante março. Em relação à economia brasileira, o Icei passou de 56,3 pontos para 54,1 pontos. Sobre a própria empresa, a expectativa caiu 1,6 pontos, de 64 para 62,4 pontos.

Leia também:

Confiança do consumidor sobe em março, apura CNI

Continua após a publicidade

Custo da indústria é o maior em quatro anos

Indústrias não têm espaço para mais dívidas, diz CNI

(com Estadão Conteúdo)

Publicidade