Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Confiança da indústria cresce 1,1% em dezembro

Segundo FGV, a expectativa com relação aos próximos meses melhorou, o que puxou o indicador

Por Da Redação 26 dez 2013, 08h52

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) avançou 1,1% em dezembro em relação ao registrado no final do mês anterior, ao passar de 99 para 100,1 pontos, informou a Fundação Getúlio Vargas nesta quinta-feira. Com o resultado, o índice atinge o maior patamar desde junho passado, mas ainda fica abaixo da média histórica pelo sétimo mês consecutivo. Em novembro, o índice havia avançado 1,2% ante o mês anterior, recuperando-se após cinco quedas seguidas.

Segundo a FGV, o aumento da confiança em dezembro foi motivado pela melhora das expectativas. Enquanto o Índice da Situação Atual (ISA), em 100 pontos, não teve oscilação significante no mês, o Índice de Expectativas (IE) avançou 2,2%, para 100,3 pontos.

O indicador de estoque, que faz parte do ISA, mostrou que diminuiu o número de empresas que consideram o nível dos estoques atual como excessivo: caiu de 8,4% para 7,2%. Já a parcela das que o avaliam como insuficiente passou de 1,6% para 1,9%. A medição de estoques é importante para avaliar como a indústria vê a demanda atual e futura.

“O resultado geral confirma a trajetória de gradual melhora do ambiente de negócios no quarto trimestre, sugerindo que o pior momento do setor já teria passado, embora o desempenho permaneça entre fraco e moderado”, afirmou a FGV em comunicado.

Leia mais:

Indústria de São Paulo demite 12,5 mil pessoas em novembro

Continua após a publicidade

Emprego na indústria tem leve alta mensal, mas cai 1,7% em 1 ano

Inovação perde fôlego na indústria brasileira

A indústria brasileira tem mostrado dificuldade em impor ritmo de recuperação sustentável neste ano. Em outubro, segundo último dado divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção industrial surpreendeu positivamente ao avançar 0,6%, mantendo-se pelo terceiro mês seguido em território positivo, porém indicando ainda recuperação moderada.

(com agência Reuters)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)