Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Comitiva argentina virá a SP para debater problemas do setor automotivo

Empresários do país vizinho vêm discutir retração no comércio bilateral; encontro ocorre no mesmo dia em que se espera novo acordo automotivo

O secretário argentino de Comércio, Guillermo Moreno, vai se reunir nesta terça-feira em São Paulo com o presidente da Federação de Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, e mais 200 empresários do setor automotivo brasileiro. O objetivo do encontro é a busca de soluções para os ‘impedimentos de troca comercial’, afirmaram fontes oficiais neste domingo.

À frente da comitiva oficial do país vizinho, Moreno debaterá com Skaf a forte redução do intercâmbio comercial automotivo bilateral neste ano, indicou a Casa Rosada através de nota. Nos primeiros oito meses de 2012, as exportações de componentes da indústria automotiva da Argentina ao Brasil caíram 6% em relação ao mesmo período de 2011, enquanto as importações caíram 18%.

‘Na terça-feira vamos iniciar uma missão comercial na cidade de São Paulo’, que consistirá em ‘rodadas de negócios com terminais automotivo e com distribuidores brasileiros de autopeças para que possam vender mais componentes argentinos no Brasil’, explicou o embaixador argentino no Brasil, Luis María Kreckler, à agência estatal ‘Télam’. Segundo o diplomata, nos últimos meses, ‘houve um desbloqueio’ na troca comercial entre ambos os países – algo que estava bem afetado nos primeiros meses do ano.

Novo acordo – O encontro deve ocorrer no mesmo dia para o qual se espera o anúncio, a ser realizado em Brasíila, do novo acordo automotivo nacional. Segundo o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, um decreto com as novas regras já está pronto e depende apenas da sanção da Medida Provisória nº 563, que cria o novo regime e deve ser assinada até esta terça.

Leia mais:

Novo regime automotivo deve sair na próxima semana

Em junho, funcionários das duas nações aproveitaram a cúpula semestral do Mercosul na cidade argentina de Mendoza para aparar as diferenças no comércio bilateral, com atenção especial a uma nova estratégia para a indústria automotiva. O acordo para impulsionar o comércio bilateral aconteceu após as críticas lançadas por empresários de ambos os países contra o que consideram políticas protecionistas adotadas por Buenos Aires e Brasília.

Na ocasião, os ministros de Indústria da Argentina, Débora Giorgi, e do Brasil, Fernando Pimentel, concordaram na necessidade de ‘redesenhar a política comum automotiva nos próximos anos’, segundo as fontes consultadas. De acordo com estimativas oficiais, no último ano o déficit da Argentina no comércio com o Brasil foi de 5,8 bilhões de dólares, com um crescimento anual das compras ao Brasil de 23%.

(com agência EFE)