Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Comissão da crise hídrica mantém bandeira vermelha após falas de Bolsonaro

Mesmo com o aumento das chuvas, câmara composta por diferentes ministérios afirma que medidas emergenciais são necessárias para evitar o racionamento

Por Luisa Purchio Atualizado em 18 out 2021, 11h13 - Publicado em 16 out 2021, 12h01

A Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética (Creg), criada para gerir a crise hídrica nacional, endossou a necessidade de se manter as medidas emergenciais para evitar o racionamento de energia no país, entre elas a bandeira vermelha da conta de luz. A decisão ocorreu em reunião realizada na sexta-feira, 15, após o presidente Jair Bolsonaro afirmar na tradicional live de quinta-feira que determinaria ao ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, “que volte a bandeira ao normal a partir do mês que vem”.

Composta por representantes dos ministérios de Minas e Energia, da Economia, da Infraestrutura, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, do Meio Ambiente e do Desenvolvimento Regional, a Creg avaliou que as chuvas aumentaram no país principalmente na Região Sul, e que as regiões Sudeste e Centro Oeste estão com previsão de maior volume de chuvas no curto prazo, porém, o solo bastante seco dificulta que a precipitação se transforme em maior volume de água nos reservatórios. Além dos preços mais altos da conta de luz, a Creg manterá a redução da vazão das usinas hidrelétricas Jupiá e Porto Primavera entre novembro de 2021 e fevereiro de 2022.

“Em relação ao atendimento para os próximos meses, as novas projeções apresentadas pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico indicam o atendimento da carga de energia elétrica nos cenários avaliados, com a possibilidade de ser necessário o uso marginal da reserva operativa para atendimento de potência no cenário conservador apresentado, em alguns momentos do mês de outubro de 2021 e em menor escala nos meses de novembro e dezembro. Esta possibilidade se reduz significativamente a partir do aumento das disponibilidades energéticas advindas das ações excepcionais em curso”, disse o Ministério de Minas e Energia em nota.

A situação continua crítica em diversos reservatórios do país. De acordo com a Sabesp, o volume de água do Sistema Cantareira, por exemplo, baixou 0,8 ponto percentual nesta sexta-feira, 15, e atingiu 28,2% da capacidade. Desde setembro o sistema opera em estado de emergência, com sua capacidade de água abaixo de 35%.

Populismo pré-eleições

A menos de um ano das eleições presidenciais de 2022, quando seu governo será colocado à prova, as falas de Bolsonaro foram um típico apelo populista ao eleitorado, uma vez que o aumento da conta de luz impacta diretamente a vida dos brasileiros e, consequentemente, a sua popularidade. Em custos eleitorais, a bandeira vermelha tem proporções semelhantes ao preço elevado do diesel e do gás de cozinha, porém, como mostrou VEJA, eles não deixam de ser fruto de escolhas do próprio governo com impacto na economia.

Com informações da Agência Brasil

Continua após a publicidade

Publicidade