Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Com anúncio da S&P, bolsas da UE têm forte queda

Agência colocou, na segunda-feira à noite, a nota de 15 países do continente em revisão

Os índices do mercado de ações da Europa fecharam em queda nesta terça-feira, em sua maioria, depois de a agência de classificação de risco Standard & Poor’s (S&P) anunciar que estuda reduzir os ratings de quase todos os países da zona do euro.

Ontem à noite, após o fim do pregão das bolsas dos Estados Unidos, a S&P divulgou que colocou em revisão (com possibilidade de rebaixamento) os ratings de 15 dos 17 países da zona do euro, incluindo a Alemanha e a França, e que manteve sob revisão com perspectiva negativa a nota de Chipre. A agência afirma que a tensão sistêmica no bloco monetário aumentou nas últimas semanas e considera que, agora, ameaça o crédito da região como um todo.

O único país da zona do euro que não sofreu alteração no rating foi a Grécia, mas porque sua nota – “CC” com viés negativo – já implica risco significativo de default, afirmou a S&P.

“Talvez a S&P tenha estragado a festa”, disse Mike Lenhoff, estrategista-chefe da Brewin Dolphin. “Isso causou um pouco de hesitação. Os mercados estavam avançando por causa do otimismo em relação ao que pode acontecer na cúpula da União Europeia prevista para sexta-feira”, acrescentou.

O índice pan-europeu Stoxx 600 caiu 0,83 ponto, ou 0,34%, para 241,92 pontos. Na bolsa de Londres, o FTSE-100 avançou 0,76 ponto, ou 0,01%, para 5.568,72 pontos. Em Paris, o CAC 40 perdeu 21,65 pontos, ou 0,68%, para 3.179,63 pontos. Na bolsa de Frankfurt, o Xetra DAX fechou em baixa de 77,27 pontos, ou 1,27%, a 6.028,82 pontos.

Em Milão, o índice FTSE MIB caiu 78,26 pontos, ou 0,49%, para 15.848,21 pontos. O IBEX 35, da bolsa de Madri, avançou 7,00 pontos, ou 0,08%, para 8.712,80 pontos. Em Lisboa, o PSI 20 teve queda de 74,24 pontos, ou 1,31%, para 5.609,60 pontos. O ASE, da bolsa de Atenas, recuou 14,11 pontos, ou 2,04%, para 679,01 pontos.

Ações – Entre os destaques da sessão, os papéis da RWE recuaram 7,2%, para 28,15 euros, depois de a companhia anunciar que pretende levantar cerca de 2,1 bilhões de euros vendendo ações a 26 euros cada. Ainda em Frankfurt, a rede varejista Metro recuou quase 14% depois de anunciar que reduziu suas estimativas de venda e de lucro para 2011, citando o início lento da temporada de compras de Natal e os impactos da crise das dívidas soberanas da zona do euro. Em Paris, o Carrefour perdeu 6,3%.

Em Oslo, as ações da Yara International subiram 7,2% depois de a fabricante de fertilizantes anunciar que espera aumentar as vendas em 8 milhões de toneladas entre 2010 e 2016.

(Com Agência Estado)