Clique e assine a partir de 8,90/mês

China simplifica regras para abertura de empresas

País reduzirá a burocracia e eliminará comprovação de capital para possíveis empreendedores

Por Da Redação - 19 fev 2014, 12h51

A China está simplificando as regras para a abertura de empresas no país por meio da eliminação de exigências de capital e da redução da burocracia. Esta é mais uma tentativa do país de dar mais espaço ao setor privado e estimular o crescimento econômico. A medida, que entrará em vigor imediatamente, determina que possíveis empreendedores não precisarão mais comprovar a quantia mínima de capital, segundo mensagem publicada pelo Conselho Estatal, no site do governo central chinês.

Antes da mudança, empresas limitadas e sociedades anônimas precisavam comprovar capital mínimo de 30 mil yuans (cerca de 5 mil dólares) e 5 milhões de yuans (aproximadamente 823 mil dólares), respectivamente. A nova regra, no entanto, não vale para empresas listadas em bolsas chinesas e também não se aplica a instituições financeiras, tais como bancos e companhias fiduciárias.

Leia também:

China corta meta de crescimento da produção industrial

Inflação na China desacelera para menor patamar em 7 meses

Continua após a publicidade

Economia da China mantém ritmo e cresce 7,7% em 2013

Formuladores de política da China têm prometido dar mais oportunidades ao setor privado com o objetivo de estimular a economia e criar empregos suficientes para assegurar a estabilidade social.

O governo também pretende criar uma “lista negra” de empresas e indivíduos que tenham se envolvido em “práticas anormais”, que vão de pequenas irregularidades administrativas e sérias violações criminais.

O país atualmente conta com 15,4 milhões de empresas em operação, sendo que 73,1% delas são pequenos negócios privados, de acordo com a Administração Estatal para a Indústria e Comércio.

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade