Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Carrefour foca em e-commerce de alimentos e lojas de conveniência

Grupo quer expandir a rede de lojas de conveniência da bandeira Carrefour Express

Por Da redação 11 ago 2017, 20h04

O Carrefour prevê para este terceiro trimestre o lançamento de sua operação de comércio eletrônico de alimentos. A companhia possui uma operação de e-commerce de bens não-alimentares, que já representa 3% das vendas do varejo.

Ao destacar as perspectivas para o segundo semestre de 2017, a empresa informou que pretende expandir a rede de lojas de conveniência da bandeira Carrefour Express. O grupo prevê a aceleração na abertura dessas lojas no segundo semestre. Nos primeiros seis meses do ano foram abertas 17 lojas desse formato.

  • A abertura de lojas da rede de “atacarejo”, o Atacadão, também foi destacada e deve continuar em linha com anos anteriores, segundo a empresa.

    O Carrefour divulgou hoje os resultados financeiros do segundo trimestre. O grupo reportou lucro líquido de R$ 299 milhões no segundo trimestre de 2017, uma queda de 3,4% na comparação com o mesmo período do ano passado. No acumulado de janeiro a junho deste ano, o lucro cresceu 1,6%, para R$ 498 milhões.

    A receita líquida total teve uma expansão de 7,9% no segundo trimestre de 2017 ante igual intervalo de 2016, para R$ 12,299 bilhões. No primeiro semestre, a receita líquida somou R$ 24,177 bilhões, uma alta de 7,6% contra 2016.

    O resultado financeiro líquido ficou negativo em R$ 216 milhões ao final do segundo trimestre de 2017, 21% acima do valor também negativo de R$ 179 milhões do ano passado.

    Sobre as perspectivas para as vendas, a companhia divulgou comentário do presidente do Carrefour Brasil, Charles Desmartis. “As vendas nos meses daqui em diante continuarão a refletir a queda na inflação de alimentos e uma demanda sem fôlego”, afirma o executivo em nota apresentada junto à divulgação de resultados. “Estamos reforçando nossos diferenciais competitivos a fim de nos adaptar para condições de mercado desafiadoras”, conclui.

    (Com Estadão Conteúdo)

    Continua após a publicidade
    Publicidade