Clique e assine a partir de 9,90/mês

Câmbio afeta resultados do McDonald’s no Brasil

Em 2014, o faturamento da Arcos Dourados, maior franqueada da rede, caiu 1,4%. Número de lojas saltou para 866 em um ano

Por Da Redação - 17 mar 2015, 16h07

A Arcos Dorados, maior franqueada da rede McDonald’s no mundo, que opera em cerca de 20 regiões da América Latina, anunciou nesta terça-feira queda de 1,4% no faturamento de suas lojas no Brasil em 2014. O resultado negativo é uma consequência direta da desvalorização cambial. Excluindo o efeito da valorização do dólar contra o real, o faturamento da companhia no país subiu 7,6% no período, graças à abertura de novas lojas no país. No total, o número de unidades passou de 812 em 2013 para 866 ao final de 2014.

“Os fundamentos de longo prazo de nosso negócio ainda estão mantidos”, afirmou o presidente-executivo da companhia, Woods Staton, em comunicado à imprensa. “Acreditamos que as medidas tomadas para tornar nosso negócio ágil e eficiente vão nos ajudar a enfrentar os desafios atuais e estabelecer as bases para uma recuperação”, acrescentou o executivo.

Somente no quarto trimestre, a companhia encerrou com faturamento de 467,5 milhões de dólares no Brasil. Isso representa também uma queda de 2,2% sobre o mesmo período de 2013. Desconsiderando a variação cambial, houve expansão de 9,4% nos últimos três meses do ano.

Leia mais:

Continua após a publicidade

Detox no fast food: McDonald’s deve vender couve e Burger King corta refrigerante

Vendas globais do McDonald’s caem pelo 9º mês seguido em fevereiro

Como um todo, a empresa teve lucro líquido de 10 milhões de dólares no quarto trimestre, um recuo de 68,7% sobre um ano antes, pressionada pela desvalorização de moedas latinas ante o dólar. Para 2015, a expectativa é de investimento de entre 90 milhões e 120 milhões de dólares e abertura de 40 a 45 novas lojas nos países em que opera.

Em 2014, o investimento foi de 169,8 milhões de dólares, que incluíram abertura de 82 novas lojas, ante expectativa inicial de 200 milhões de dólares, segundo entrevista de Staton à agência de notícias Reuters em março passado. No balanço, a Arco Dorados afirmou que espera que o ambiente de negócios no curto prazo continue “desafiador”.

Continua após a publicidade

(Com agência Reuters)

Publicidade