Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cade aprova compra da cachaça Sagatiba pela Campari

Grupo italiano já produz e comercializa outras bebidas no Brasil, como Dreher, Skyy Vodka e a própria Campari, além de importar licores como Frangélico, Carolans e Illyquore

A Campari já era responsável pela distribuição da Sagatiba no Brasil e América do Sul desde o ano passado

A marca de cachaça brasileira Sagatiba é agora oficialmente italiana. O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nesta quarta-feira a compra feita pela Campari-Milano, em agosto, por 26 milhões de dólares. Além desse valor, a Campari pagará pelos próximos oito anos o correspondente a 7,5% das vendas anuais da cachaça.

De acordo com o relatório da Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae) do ministério da Fazenda, a Campari já produz e comercializa outras marcas no Brasil, como Dreher, Cynar, Drury’s, Old Eight e Skyy Vodka, além da própria Campari. Também é a responsável pela importação dos licores Frangélico, Carolans e Illyquore. A Seae identificou algumas sobreposições no mercado de destilados, já que a Sagatiba atua nos segmentos de cachaça destilada, cachaça velha e cachaça especial. A Secretaria explicou, porém, que, como a concentração de mercado está entre 0,01% e 10%, não houve necessidade de prosseguir a análise. Os órgãos de defesa da concorrência se debruçam sobre casos cujos porcentuais de concentração são superiores a 20%.

Como a Campari já era responsável pela distribuição da Sagatiba no Brasil e América do Sul desde o ano passado, a relação vertical entre as requerentes já existia antes da operação. Atualmente, essa cachaça é vendida em 40 países do mundo. No primeiro semestre do ano passado, o lucro líquido da Campari foi de 75,3 milhões de euros, 8,7% maior do que o do mesmo período do ano anterior.

(Com Agência Estado)