Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasileiros e chineses são mais propensos a misturar vida pessoal e profissional

Cerca de 85% dos chineses e 74% dos brasileiros levam trabalho para as férias e fins de semana — e muitos acreditam que tal atividade faz bem para a carreira

Os profissionais brasileiros e chineses, ao contrário dos europeus, são mais propensos a misturar vida particular e profissional, enviando e-mails de casa ou saindo de férias com o computador do trabalho, segundo um estudo de um grupo especializado em viagens de negócios. Segundo esta pesquisa, realizada em sete países pela Pullman, uma empresa especializada em viagens de negócios do grupo hoteleiro Accor, os brasileiros e os chineses são os mais adeptos ao “blurring“, o termo em inglês que define a mistura constante entre vida profissional e vida privada.

Cerca de 85% dos chineses e 74% dos brasileiros levam seus computadores, smartphones e tablets durante as férias ou fins de semana, contra 47% dos britânicos ou 50% dos alemães. Além disso, 92% dos chineses e 83% dos brasileiros pensam que o “blurring” facilita sua carreira profissional, uma opinião compartilhada por 70%, em média, dos pesquisados nos demais países.

Leia ainda: Caged: Criação de emprego formal sobe 26,46% em agosto

Os americanos são os mais ambíguos sobre os benefícios de se conectar de casa a sua vida profissional. Por um lado, consideram – mais que em outros países – que trabalhar em casa aumenta a produtividade e permite passar mais tempo com a família. No entanto, ao mesmo tempo também são conscientes, mais que a média de outros países, das consequências de estar sempre trabalhando e do estresse que isso gera.

Já os franceses e alemães misturam menos vida profissional e particular e são os que têm a opinião mais negativa sobre levar trabalho para casa. São também os franceses (94%) e os alemães (62%) os que realizam menos atividades pessoais no trabalho, contra uma média de 96% entre os pesquisados dos demais países. Somando todas as nacionalidades, 27% das pessoas interrogadas reconhecem que organizam seus fins de semana e suas férias durante suas horas de trabalho. Os pesquisados também reconhecem enviar e-mails profissionais de casa antes de ir ao escritório (48%) e inclusive na cama antes de ir dormir (27%).

Leia também:

China responde ao que chama de provocações do Japão

China dá último passo à zona de livre comércio de Xangai

(com Agência France-Presse)