Clique e assine com 88% de desconto

Brasil fica para trás em ranking de produtividade de serviços

China e Coreia do Sul superaram o país devido à maior qualificação de seus profissionais, aponta levantamento feito pelo Ibre/FGV

Por Da Redação - 27 abr 2015, 15h56

O Brasil foi ultrapassado pela Coreia do Sul e pela China em um ranking de produtividade do setor de serviços, elaborado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV). Segundo o estudo, o país foi superado pelos dois asiáticos, principalmente por causa da baixa qualificação de seus profissionais. A pesquisa foi divulgada nesta segunda-feira pelo jornal O Globo.

Na década de 1980, a eficiência da China correspondia a apenas 11% da brasileira no segmento. Atualmente, os chineses estão com uma ligeira vantagem ao gerar por ano uma riqueza de 17.309 dólares por trabalhador. Em relação à Coreia do Sul, com quem o Brasil se igualava no marcado na década de 80, houve um descompasso maior: o país detém, hoje, apenas 38% da produtividade dos coreanos.

O setor de serviços envolve os segmentos de comércio, serviços pessoais, transportes, serviços públicos e intermediações financeiras. Com exceção desse último, o Brasil perde em todas categorias para a Coreia do Sul no quesito qualificação. Em comparação com os Estados Unidos, a diferença é ainda maior: cada americano gera por ano o equivalente ao que cinco brasileiros produzem.

Além da má qualificação, outro fator que explica os maus resultados em serviços é a falta de ligação entre o setor e a indústria. “A China está fazendo a mudança de um modelo baseado na indústria e no investimento para outro modelo, fundamentado nos serviços e no consumo. Os dados indicam que eles têm feito progresso no sentido de elevar a produtividade dos serviços e utltrapassam a produtivida brasileira”, afirmou o economista Fernando Veloso, do Ibre/FGV.

Publicidade

Leia mais:

Confiança do setor de serviços atinge mínima histórica em março

Publicidade