Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Brasil fará nova emissão externa em 6 de janeiro

Tesouro Nacional emitirá 750 milhões de dólares em bônus nos Estados Unidos e Europa, podendo estender a operação à Ásia

Por Da Redação - 3 jan 2012, 12h04

O governo brasileiro decidiu reabrir nesta terça-feira a emissão de bônus soberanos (títulos da dívida pública federal) denominados em dólares com vencimento em janeiro de 2021, informou o Tesouro Nacional em comunicado. O valor inicial da emissão externa é de 750 milhões de dólares, informou o BNP Paribas, que, junto com o Itaú BBA, coordena a operação.

O governo já havia informado que uma nova emissão externa poderia ser feita no início deste mês, aproveitando que as condições para os papéis brasileiros estão melhores. No início de novembro, durante fortes turbulências externas vindas da Europa, o país captou cerca de 1 bilhão de dólares por meio da oferta do Bônus Global 2041. A operação foi marcada por uma forte demanda, chegando a cerca de 6 bilhões de dólares, e pelo menor rendimento já pago pelo país em títulos de 30 anos: 4,694%.

Já os títulos Global 2021, autorizados nesta terça, serão emitidos em 6 de janeiro nos mercados norte-americano e europeu, com a operação podendo ser estendida à Ásia, informou o Tesouro. O cupom é de 4,875%.

A demanda pela emissão pode ter superado 1,5 bilhão de dólares, informou o IFR, um serviço da Thomson Reuters.

Publicidade

Segundo o comunicado do Tesouro, haverá “uma divulgação de resultados ao final da emissão nos mercados norte-americano e europeu, e o resultado total atingido pela emissão será anunciado somente depois de concluída a eventual oferta no mercado asiático”.

Com emissões como a desta terça-feira, o governo pretende também abrir caminho para que as empresas nacionais consigam fazer captações no mercado externo. Os spreads da operação devem ficar em 160 pontos acima da Treasury, segundo dois investidores próximos à operação.

(com Reuters)

Publicidade