Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Bradesco quer pagar até R$ 10 bi para comprar HSBC Brasil

Santander e Itaú também estão na disputa para levar a filial brasileira do banco britânico; preferência é do Bradesco, segundo fontes

Por Da Redação
3 jun 2015, 11h25

O Bradesco pode desembolsar até 10 bilhões de reais para adquirir o HSBC no Brasil, superando o apetite do Itaú e do Santander, também interessados em comprar o banco. Há cerca de duas semanas, os três enviaram propostas dentro do intervalo sugerido pelo grupo Goldman Sachs, assessor da operação, de 8 bilhões de reais a 12 bilhões de reais, e foram para a fase seguinte da disputa pelo ativo.

Ao oferecer o maior lance, o Bradesco dispara como favorito na negociação. O Santander, que precisa acelerar sua expansão no país para ter mais escala, ficou próximo e teria, conforme fontes, ofertado entre 9 bilhões e 10 bilhões de reais. Já o Itaú, de acordo com as mesmas fontes, teria oferecido 8 bilhões de reais, no piso do intervalo.

Na semana que vem, segundo um executivo do mercado, começam as apresentações com os três bancos que foram para a reta final da disputa. Apesar do grande interesse dos estrangeiros de entrar no Brasil, sobretudo os chineses, nenhum passou para essa etapa. Quem vencer vai para a final para negociar o HSBC Brasil com exclusividade, quando ocorre o processo de due diligence (investigação e auditoria das informações).

Em jogo, estão quase 168 bilhões de reais em ativos e um patrimônio líquido de 9,732 bilhões de reais. Vai pesar nas negociações, principalmente o preço. Fontes afirmam que o momento que o HSBC Brasil atravessa, com rentabilidade negativa e necessidade de ajustes em sua operação de varejo, tende a pressionar o valor para baixo. Há ainda a incógnita de quem arcará com os custos das demissões que geralmente ocorrem em processos de fusão e aquisição.

Continua após a publicidade

Para o Bradesco, adquirir o ativo significa eliminar a distância de ativos erguida em relação ao seu principal concorrente, o Itaú, desde a fusão com o Unibanco. Se o comprasse, considerando dados do primeiro trimestre, ultrapassaria 1,2 trilhão de reais em ativos, perto do 1,295 trilhão de reais do Itaú ao fim de março. “Acho o Bradesco mais provável porque seria muito difícil o HSBC Brasil aceitar a proposta de um concorrente em outros países”, opina uma fonte, referindo-se ao Santander.

Leia mais:

HSBC confirma interesse em vender filial no Brasil

Continua após a publicidade

Bradesco passa HSBC e lidera ranking de reclamações do BC em abril

BB e Correios querem transformar Banco Postal em instituição financeira

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.