Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bolsa ganha 10,8% no mês, melhor desde maio de 2009

O bom desempenho no mês foi impulsionado por fortes altas das ações da Vale e dos setores bancário, de construção e de consumo

Na semana, o avanço acumulado foi de 1,80% e no ano a perda foi reduzida para 1,56%

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou o mês de julho com alta de 10,80%, que é o maior ganho mensal desde maio de 2009, quando valorizou-se 12,4%. O bom desempenho no mês foi impulsionado por fortes altas das ações da Vale e dos setores bancário, de construção e de consumo. Com a valorização de 0,84% hoje, o Ibovespa atingiu a maior pontuação desde 3 de maio, aos 67.515,40 pontos, e completou dez sessões consecutivas em campo positivo, período em que ganhou 8,30%.

O Ibovespa subiu apesar das más influências de Nova York, onde as bolsas andaram fracas ao longo da sessão, deprimidas pela contração do PIB do segundo trimestre nos Estados Unidos para 2,4%, ante expansão revisada de 3,7% no trimestre anterior – enquanto o Dow Jones fechou em leve baixa, Nasdaq e S&P500 viraram para o campo positivo, perto da estabilidade, na última hora de negócios. A bolsa brasileira tomou fôlego, principalmente, com as ações de empresas de consumo, que estiveram entre as maiores altas do Ibovespa.

Ao longo da sessão, o Ibovespa caiu à mínima de 66.217,88 pontos, em queda de 1,10%, e atingiu a máxima de 67.608,09 pontos, em alta de 0,98%. Na semana, o avanço acumulado foi de 1,80% e no ano a perda foi reduzida para 1,56%. O giro financeiro somou R$ 6,442 bilhões. Os dados são preliminares.

No setor de consumo, o destaque do dia foram as ações ordinárias (ON, com direito a voto) das Lojas Renner, que liderou o ranking das maiores altas com valorização de 8,22%. Ontem à noite, a empresa divulgou lucro líquido de R$ 90,958 milhões no segundo trimestre deste ano, com crescimento de 90,2% em relação ao mesmo período de 2009. No mês, o papel ON subiu 20,33%.

A ação ON da Vale subiu hoje 0,31%, para R$ 48,55, a PNA +0,35%, para R$ 42,67; no mês, somaram altas de 11,23% e 12,56%, respectivamente. Após o fechamento dos negócios ontem, a Vale anunciou lucro líquido de US$ 3,705 bilhões no padrão contábil norte-americano (US GAAP) no segundo trimestre deste ano, o que representa um avanço 369% ante o apurado em igual período do ano passado. Pelo padrão contábil brasileiro (BR GAAP), o lucro líquido da companhia disparou 344,2%, para R$ 6,635 bilhões.

No setor da construção, a ação que mais se valorizou no mês foi Cyrela ON, com +27,06%. No setor de bancos, Bradesco destaca-se no mês com alta de 26,26%.

As ações da Petrobras subiram hoje. O papel ON valorizou-se 2,43%, para R$ 32,04, e o PN, +0,40%, para R$ 27,85.

Mercado americano – Em Nova York, a decepção com o recuo do PIB norte-americano foi amenizada pela divulgação de indicadores considerados bons. O índice de sentimento do consumidor Reuters/Universidade de Michigan final de julho caiu para 67,8. Além disso, o índice dos gerentes de compra do setor de manufatura do Instituto para Gestão de Oferta (ISM) de Chicago subiu para 62,3 em julho.

Embora venham de uma semana fraca, as bolsas norte-americanas fecham o mês com altas relevantes. O Dow Jones caiu hoje 0,01%, para 10.465,94 pontos (alta de 0,40% na semana e de 7,08% no mês); o Nasdaq subiu 0,13%, para 2.254,70 pontos (recuo de 0,65% na semana e valorização de 6,90% no mês); e o S&P 500 subiu 0,01%, para 1.101,60 pontos (perda de 0,10% na semana e ganho de 6,88% no mês). Os dados são preliminares.