Clique e assine com até 92% de desconto

Berlim considera Itália grande demais para fundo europeu

Por Frederick Florin 6 ago 2011, 15h59

O governo alemão considera a Itália um país grande demais para ser beneficiada pelo fundo de ajuda europeu, afirma a revista semanal Der Spiegel na sua edição que será publicada neste domingo.

Um porta-voz do ministério alemão das Finanças, ao ser entrevistado pela AFP, apenas repetiu neste sábado o que este ministério tinha afirmado na quinta-feira, após o anúncio da mensagem do presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, aos dirigentes da zona euro.

Naquela ocasião, Barroso tinha pedido uma reavaliação das capacidades do fundo.

“Reabrir o debate apenas duas semanas após a cúpula (sobre o euro) não parece ser a solução apropriada para acalmar os mercados. Neste momento, tudo está pronto para que as decisões dessa cúpula possam ser aplicadas rapidamente”, tinha declarado na quinta-feira o ministério alemão das Finanças.

De acordo com Der Spiegel, o governo alemão teria cada vez mais dúvidas sobre a capacidade do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF) de salvar a Itália, a não ser que triplique de tamanho.

A revista também relata que uma economia como a da Itália seria considerada grande demais para ser resgatada e suas necessidades financeiras seriam muito importantes.

Portanto, o governo alemão insiste para que a Itália saia sozinha da crise ao aplicar medidas de austeridade e reformas. Para Berlim, segundo o Der Spiegel, o FEEF foi criado para atender países pequenos ou médios.

Continua após a publicidade
Publicidade