Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Bancos italianos e espanhóis aumentam compra de dívida

Segundo o BCE, instituições financeiras de dois países aproveitaram empréstimos ultrabaratos para encher seus cofres com títulos governamentais

Por Da Redação 30 abr 2012, 10h05

Os bancos da Itália e da Espanha encheram seus cofres com títulos governamentais no mês passado, mostraram dados divulgados nesta segunda-feira pelo Banco Central Europeu (BCE). Este é o mais recente sinal de que eles estão usando os empréstimos ultrabaratos de três anos do BCE para fazer estoques de dívida soberana.

As instituições financeiras da Itália têm agora mais dívida governamental que os credores de qualquer outro país da zona do euro, e os dados desta segunda-feira podem se somar a preocupações de que os bancos do país, bem como os da Espanha, estão ficando ainda mais ligados ao destino de seus próprios governos endividados.

Os dados – os primeiros para o período que seguiu a enorme injeção de dinheiro de três anos do BCE em 29 de fevereiro – mostraram que os bancos italianos aumentaram sua carteira de títulos emitidos por governos da zona do euro em um recorde de 23,7 bilhões de euros, levando o total de suas carteiras para 323,9 bilhões de euros.

Os bancos espanhóis aumentaram suas carteiras de títulos lançados por governos da zona do euro em 20,1 bilhões de euros. Embora o aumento tenha sido menor do que o recorde de fevereiro de 23 bilhões de euros, o montante total das carteiras soberanas ficou em um recorde de 263,3 bilhões de euros.

“Isso confirma que boa parte das compras que diminuíram os yields nesses dois países foi feira pelo setor financeiro doméstico”, disse o economista do Unicredit Marco Valli. “No entanto, com o passar do tempo, o efeito do dinheiro de três anos começará a enfraquecer (…) a disposição para mais exposição está diminuindo”, emendou.

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade