Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Bancos e petroleiras elevam Bolsas da Europa

Por Da Redação 24 Maio 2012, 14h00

Por Renan Carreira

Londres – As bolsas europeias fecharam em alta nesta quinta-feira. As ações dos bancos, das companhias de energia e das petroleiras subiram, apesar de dados econômicos pessimistas hoje e da desapontadora reunião dos líderes da União Europeia (UE) realizada ontem. De acordo com operadores, as fortes quedas das últimas sessões deram aos investidores uma desculpa para comprar papéis a preços baixos. O índice Stoxx Europe 600 subiu 1,00%, para 241,91 pontos, após registrar ontem uma queda de 2,14% com novos rumores de saída da Grécia da zona do euro.

Os bancos e as petroleiras, que sofreram baixa na sessão de ontem, recuperaram-se, com HSBC Holdings registrando alta de 1,4%. As ações da BP subiram 3,33% e as da Total avançaram 1,5%.

Os mercados europeus recuaram ontem após o ex-primeiro-ministro grego Lucas Papademos dizer que a Grécia estava considerando planos de contingência no caso de o país sair da zona do euro e alertar para os altos custos associados a tal evento. Além disso, na noite de ontem, nenhuma nova estratégia foi concebida na reunião informal dos líderes da UE, em Bruxelas, embora eles tenham ressaltado que a Grécia deve permanecer na zona do euro.

Enquanto isso, hoje novos dados desenharam um quadro de fraqueza das maiores economias da Europa. A atividade privada na zona do euro teve a maior contração em quase três anos em maio, de acordo com o índice dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) composto calculado pela Markit Economics. O PMI manufatureiro da Alemanha recuou para 45,0 em maio – a maior baixa em quase três anos. A atividade comercial na França caiu ainda mais em maio, sofrendo sua maior queda em mais de três anos.

Continua após a publicidade

O índice ASE, da Bolsa de Atenas, recuou 4,53%, aos 502,52 pontos, pressionado pelo National Bank of Greece (-4%).

Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX registrou alta de 0,48%, fechando a 6.315,89 pontos, puxado por E.ON (+2,1%) e RWE (+2,2%). As ações do Deutsche Bank subiu 0,8%.

Em Londres, o índice FTSE avançou 1,59%, a 5.350,05 pontos, beneficiado pelos papéis dos bancos e das companhias de matérias-primas. Junto com a BP (+3,21), Royal Dutch Shell teve alta de 1,8% e BG Group encerrou a sessão com ganho de 3,2%. Standard Chartered subiu 1,9% e Barclays avançou 2,7%.

O índice CAC 40, da Bolsa de Paris, teve alta de 1,16%, para 3.038,25 pontos. As ações dos bancos subiram, com Société Générale (+2,3%), Crédit Agricole (+1,5%) e BNP Paribas (+1,6%).

Em Madri, o índice Ibex 35 fechou com ganho de 1,46%, a 6.534,40 pontos. Repsol subiu 3,4% após a companhia informar que algumas áreas que está explorando na costa brasileira contêm mais de um bilhão de barris de petróleo e gás. Sacyr Vallehermoso avançou 8,7% após cair 10,6% ontem. Por outro lado, os papéis do Bankia recuaram 7% em meio a temores sobre como o plano de resgate do governo da Espanha vai afetar os acionistas.

Em Milão, o FTSE MIB avançou 1,13%, para 13.107,80 pontos. Em Portugal, o índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, subiu 0,20%, para 4.596,52 pontos. As informações são da Dow Jones.

Continua após a publicidade
Publicidade