Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Austrália fecha minas de carvão e desocupa cidades inundadas

Por Da Redação 3 fev 2012, 09h01

SYDNEY, 3 Fev (Reuters) – Fortes chuvas levaram à interdição de quatro minas de carvão nesta sexta-feira na Austrália, onde helicópteros militares retiram moradores ilhados de cidades inundadas. As autoridades alertaram para o risco de novas enxurradas.

Mais de 11 mil pessoas ficaram ilhadas no Estado de Queensland e milhares já foram retiradas, segundo os serviços de emergência.

A localidade de Moree, centro da produção algodoeira local, foi dividida ao meio pela enxurrada, e as autoridades precisaram usar helicópteros para realocar cerca de 300 desabrigados que estavam em um albergue ameaçado pelas águas na localidade de Roma, no Outback (o “sertão” da Austrália).

A empresa Whitehaven Coal disse que precisou fechar quatro minas de carvão, mas que elas não foram inundadas e seus equipamentos não foram danificados. Outras empresas de mineração e de produção de gás natural liquefeito relataram que suas operações por enquanto não foram afetadas.

Há cerca de um ano, inundações no leste da Austrália mataram pelo menos 35 pessoas e afetaram cerca de 30 mil casas, além de danificar estradas, lavouras e minas de carvão.

Continua após a publicidade

A Austrália é o maior exportador mundial de carvão, respondendo por cerca de dois terços da oferta mundial de coque, matéria-prima na produção do aço.

O Conselho de Recursos de Queensland disse que muitas das minas do Estado ainda contêm água da temporada de chuvas do ano passado, e que a situação está sendo monitorada.

Produtores de algodão na região de Moree relataram prejuízos em torno de 1.000 a 1.500 dólares australianos (1.074 a 1.810 dólares norte-americanos) por cada hectare cultivado.

O cotonicultor Robert Birch contou à TV pública que ficou ilhado no segundo andar da sua casa. “Acordamos hoje de manhã com wallabies, cangurus, uma équidna e um coala sentados nas árvores, então acho que tudo está indo para qualquer pedacinho de terreno elevado que encontrar.”

(Reportagem de Maggie Lu-YueYang e James Regan; Reportagem adicional de Rebekah Kebede em Perth)

Continua após a publicidade
Publicidade