Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ausência de plano contra déficit derruba bolsas em NY

Por Gustavo Nicoletta

Nova York – Os principais índices do mercado de ações dos Estados Unidos fecharam em baixa, pressionados pela crescente possibilidade de o chamado “supercomitê” do Congresso norte-americano, composto por senadores e deputados da situação e da oposição, não cumprir a tarefa de apresentar um plano abrangente para reduzir o déficit orçamentário do país.

A ausência de uma proposta deixou o mercado nervoso com o risco de um eventual rebaixamento na nota de crédito dos EUA. “Como investidor, é muito frustrante ver esse nível de disfunção”, disse Sandy Villere, co-gerente de portfólios do Villere Balanced Fund. “Tudo girou em torno do supercomitê hoje e não acho que um downgrade pela S&P já foi embutido neste mercado”, afirmou, referindo-se à decisão da agência Standard & Poor’s de cortar a nota de crédito norte-americana em agosto.

As bolsas chegaram a se distanciar das mínimas da sessão pouco antes do encerramento do mercado, após o senador democrata Max Baucus afirmar que as negociações do supercomitê “ainda estavam em andamento” e que o “medo” de não apresentar um acordo estava forçando o grupo a trabalhar de forma mais criativa para concretizar um plano de redução no déficit.

O Dow Jones caiu 248,85 pontos, ou 2,11%, para 11.547,31 pontos, o menor nível desde 20 de outubro. O Nasdaq perdeu 49,36 pontos, ou 1,92%, e fechou a 2.523,14 pontos, enquanto o S&P 500 teve declínio de 22,67 pontos, ou 1,86%, para 1.192,98 pontos. Os dois índices registraram a menor pontuação de fechamento desde 7 de outubro.

No mercado de Treasuries, os preços subiram, em sua maioria, com respectivo movimento inverso dos juros, impulsionados pela aversão ao risco e pelo bom resultado de um leilão de US$ 35 bilhões em T-notes de dois anos.

A demanda pelos papéis foi equivalente a 4,07 vezes o volume ofertado – maior nível desde 1988, pelo menos, segundo John Canavan, analista de renda fixa da Stone and McCarthy -, enquanto o juro dos títulos ficou em 0,28%, um dos menores da história.

No final da tarde em Nova York, o juro projetado pelos T-bonds de 30 anos estava em 2,957%, de 2,990% na sexta-feira; o juro das T-notes de dez anos estava em 1,974%, de 1,968%; o juro das T-notes de dois anos estava em 0,266%, de 0,286%. As informações são da Dow Jones.