Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Arezzo e Soma assinam fusão que cria grupo com faturamento de R$ 12 bi

De acordo com o fato relevante divulgado nesta segunda, a Arezzo fica com 54% das ações da nova empresa enquanto a dona da Farm terá 46%

Por Larissa Quintino
Atualizado em 5 fev 2024, 12h10 - Publicado em 5 fev 2024, 09h16

A Arezzo e o grupo Soma assinaram o acordo de fusão das companhias. Com isso, o novo grupo terá sob seu guarda-chuva 34 marcas, com um faturamento de 12 bilhões de reais, 22 mil funcionários e duas mil lojas físicas no país, consolidando-se como uma gigante da moda no mercado brasileiro. O valor de mercado do novo grupo é estimado em 13 bilhões de reais, atrás apenas da Renner, que vale 15 bilhões de reais.

Conforme o fato relevante divulgado pelas empresas nesta segunda-feira, o negócio será feito via troca de ações. A Arezzo ficará com 54% da nova companhia, incorporando o Soma, que ficará com 46% do novo grupo, que deverá ser batizado posteriormente. A negociação precisa ser submetida à aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), órgão regulador de concorrência no Brasil.

“O surgimento dessa nova empresa acarreta grandes oportunidades de geração de valor adicional, tais como, o desenvolvimento das categorias de calçados e bolsas nas marcas do Grupo Soma gerando alavancagem de receita, otimização da gestão dos canais de multimarcas, e-commerce e, principalmente, franquias, otimização da planta industrial de malharia da Hering e a preparação dessa nova empresa para plugar outras verticais de negócio”, diz o fato relevante.

De acordo com comunicados divulgados na quarta-feira passada, quando formalizada a intenção do negócio, as empresas informaram que, caso o negócio fosse confirmado, Alexandre Birman, hoje no comando da Arezzo&Co, seria apontado o CEO da futura companhia enquanto Roberto Jatahy, CEO do Soma, ficaria à frente das marcas femininas.

Continua após a publicidade

Mercado

As empresas vinham crescendo no mercado brasileiro com uma estratégia semelhante de aquisições, consolidando marcas de moda enquanto o varejo de vestuário enfrenta forte concorrência das empresas chinesas. 

O grupo Soma, nasceu em 2010 com uma fusão das marcas cariocas Animale e Farm. Em 2021, durante a pandemia, a companhia deu seu maior passo, quando adquiriu a Hering. Já a Arezzo conta em seu guarda-chuva com diversas marcas de calçado, como Arezzo, Schultz, AnaCapri. Em 2020, a companhia avançou no vestuário, com a compra da carioca Reserva. 

O negócio entre os grupos de moda é a maior fusão do varejo brasileiro desde a união de Droga Raia e Drogasil, em 2011.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.