Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Apple pode dominar mercado com mini iPad, dizem analistas

A gigante da informática, Apple, que deverá lançar uma versão mini de seu tablet iPad, atual líder de mercado, pode dominar seus competidores com esse novo produto, dizem analistas do setor.

O Wall Street Journal revelou na quarta-feira passada que a empresa prepara o lançamento desse novo tablet, com tela menor que a do iPad.

“Os fornecedores asiáticos de componentes da Apple estão se adaptando para produzir em massa, a partir de setembro, um tablet cuja tela será menor que a do iPad”, informa o jornal em seu site, citando altos funcionários dos concorrentes.

Segundo as fontes, não identificadas, a diagonal da tela do novo tablet terá menos de oito polegadas (em torno de 20 centímetros), contra as atuais 9,7 polegadas (25 centímetros) do iPad.

O jornal acrescenta que o lançamento do novo produto deve permitir à Apple manter sua posição de líder no mercado de tablets, agora disputado pela coreana Samsung e as americanas Amazon, Microsoft e Google.

Especialistas dizem que a ideia deve fazer com que o fundador da Apple, o falecido Steve Jobs, se revire no túmulo, pois ele era categoricamente contrário a ela, mas ao mesmo tempo destacam que o mercado já mudou muito desde sua morte, em outubro passado.

Jobs chegou a dizer que os tablets com telas de sete polegadas (17,8 cm) deveriam “incluir uma lixa, para que os usuários pudessem lixar seus dedos e assim poder usar suas teclas”.

Tablets de formato menor que o do iPad tradicional, que possui tela de quase 10 polegadas (de 24,6 cm), como o Kindle Fire de Amazon, o Nexus 7 da Google e o Galaxy da Samsung, obtiveram êxito em seu lançamento.

Os rumores sobre o lançamento do mini iPad, têm circulado durante meses, mas o The Wall Street Journal informou nesta semana que os fabricantes de componentes da Apple na China estão se preparando para a produção massiva do dispositivo.

“Apesar do que Steve Jobs disse, o formato de sete polegadas é muito popular e muito prático em termos de mobilidade”, disse Jack Gold, analista da J. Gold Associates. “Além do que, este formato é menos custoso e a Apple poderá assim competir na linha mais econômica do mercado de tablets”, completou.

Tom Mainelli, de empresa de pesquisa IDC, disse que a Apple se deu conta de que as grandes tablets não são universalmente populares e afirmou que os usuários no Japão, “que têm uma cultura maior de portabilidade”, podem preferir um formato menor, que também pode ser melhor para as escolas primárias.

“Caso a Apple venda o novo dispositivo a menos de 300 dólares, como se espera, será uma grande dor de cabeça para os modelos Android, do Google”, afirmou.