Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Após demissões, trabalhadores da Mercedes Benz cruzam os braços

Paralisação é um protesto contra o desligamento de 244 funcionários da montadora em fábrica de São Bernardo do Campo. Nova assembleia está marcada para esta quarta

Por Da Redação 7 jan 2015, 10h49

Trabalhadores do turno da manhã da fábrica da Mercedes-Benz de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, aprovaram uma paralisação das atividades por 24 horas, em protesto contra a demissão de 244 funcionários. A decisão foi tomada em assembleia realizada às 6h desta quarta-feira. Trabalhadores da fábrica da Volkswagen da cidade também seguem em greve por tempo indeterminado desde terça-feira contra o desligamento de 800 funcionários. Outras fábricas seguem operando normalmente.

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC afirmou que os trabalhadores da Mercedes resolveram paralisar as atividades como um “aviso” para a diretoria da fábrica, com quem pretendem conversar ainda nesta tarde sobre as demissões. Segundo a entidade, todos os funcionários da manhã voltaram para casa após a decisão. Uma nova assembleia está marcada para 14h desta quarta, quando trabalhadores do turno da tarde deverão decidir se também paralisam as atividades por 24 horas em protesto contra as demissões.

Leia também:

Funcionários da Volvo fazem greve contra demissões

Para ‘desovar’ estoques, montadoras prolongam férias

Metalúrgicos planejam entrar em greve no ABC paulista

No caso da greve da fábrica da Volkswagen, o sindicato informou que, até o início desta manhã, os trabalhadores em greve ainda não tinham conversado com a diretoria da fábrica. Desde sexta-feira, os 800 trabalhadores foram comunicados das demissões por meio de telegramas informando deveriam procurar o departamento pessoal na terça, quando retornariam ao trabalho após férias coletivas. A empresa alega ter um excedente de 2 mil trabalhadores, de um total de 13 mil, na unidade de São Bernardo do Campo.

Já a Mercedes-Benz confirmou que fez dispensas, algumas por meio de um Programa de Demissão Voluntária (PDV), mas não informou números. A montadora disse ainda que renovou, por cinco meses, os lay-offs ( suspensão temporária dos contratos de trabalho) de cerca de 1 mil trabalhadores da região do grande ABC e de 170 da fábrica da cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)