Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Após cinco altas seguidas, dólar cai 1% e atinge R$ 3,32

Mercado passou por uma correção após altas recentes. Investidores também reagiaram bem à reunião do Fed e ao avanço da bolsa chinesa

Por Da Redação 29 jul 2015, 18h28

Após cinco sessões seguidas de alta, o dólar fechou em queda frente ao real nesta quarta-feira. O recuo foi interpretado como uma acomodação, após as valorizações recentes e o cenário externo mais favorável. No fim da sessão, a moeda americana caiu 1,18%, a 3,329 reais na venda, após acumular avanço de 6,17% nas últimas cinco sessões. Na véspera, no intradia, a moeda atingiu 3,435 reais, máxima de em 12 anos, depois que a Standard and Poor’s (S&P) reduziu a perspectiva da nota de crédito do país.

“O movimento foi de correção. O mercado viu que talvez tenha subido muito deste a mudança das metas (fiscais) e, por isso, corrigiu hoje, com a ajuda do cenário externo mais tranquilo também”, resumiu o economista da Tendências Consultoria, Silvio Campos Neto.

À tarde, o Fed, banco central americano, manteve a taxa de juros, conforme esperado, e informou que vê melhora da economia e do mercado de trabalho nos Estados Unidos, deixando a porta aberta para o momento de alta de juros. “O Fed indicou a melhora da economia, mas não deu nenhum sinal claro de que vai subir juros já em setembro”, acrescentou Neto.

O avanço da bolsa chinesa nesta quarta-feira, após quedas fortes nas últimas sessões, também corroborou a tranquilidade nesta sessão.

Apesar do alívio pontual, operadores ainda viam espaço para novas altas do dólar, refletindo o quadro doméstico de turbulências políticas e preocupações com a economia.

Essa aposta vem mesmo diante das expectativas de que o Banco Central (BC) eleve os juros básicos em mais 0,50 ponto percentual nesta noite, o que tende a aumentar a atratividade dos ativos brasileiros. A Selic está atualmente em 13,75%.

Continua após a publicidade

Leia mais:

Selic a 14% teria impacto pequeno para o crédito, diz Anefac

Fed mantém taxa de juros, mas sinaliza alta na próxima reunião

Mercado vê impeachment como saída ‘positiva’

Bolsa – No mercado de ações, a Bovespa deu continuidade ao movimento de recuperação da véspera e subiu pelo segundo pregão consecutivo, recuperando o patamar de 50 mil pontos, perdido no último dia 22.

A alta foi influenciada principalmente pelas ações de estatais, como Petrobras, que disparou 7%, e Banco do Brasil, e acompanhou ainda a valorização das bolsas no exterior. No fim da sessão, o Ibovespa subiu 1,30%, a 50.245 pontos. O giro financeiro totalizou 6,78 bilhões de reais.

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade