Clique e assine a partir de 8,90/mês

Após 2 mil anos, China encerrará monopólio sobre o sal

Controle do Estado sobre a produção e os preços do produto deve acabar em 2017, segundo a imprensa oficial chinesa

Por Da Redação - 6 Maio 2016, 09h23

A China encerrará a partir do ano que vem um de seus monopólios mais duradouros ao eliminar o controle sobre preços, produção e distribuição de sal. O controle do Estado sobre o produto existe há mais de 2.000 anos.

A emissora de televisão oficial CCTV noticiou nesta sexta-feira que o Conselho de Estado, que equivale ao Poder Executivo no regime chinês, decidiu iniciar uma reforma que, na prática, vai acabar com o monopólio governamental sobre o sal. Mesmo com a decisão, a atuação de novos produtores e comerciantes não será autorizada por enquanto.

As empresas dedicadas à produção e venda por atacado de sal na China precisam de uma autorização especial do governo para operar. Até hoje, Pequim também estabelecia cotas de produção e preços e reservava a distribuição do bem às empresas públicas.

Segundo a imprensa oficial, o Conselho de Estado não deve aprovar a entrada de novos atores no setor, mas estimulará fusões e aquisições de empresas que já estão em operação atualidade para permitir a entrada de capital privado.

O sal é um monopólio controlado pelas autoridades desde o século VII a.C., antes mesmo da unificação do país. O governo já havia manifestado sua intenção de acabar com essa prática há anos, mas encontrou algumas resistências no setor.

Em todo caso, na decisão divulgada nesta sexta, o governo chinês se reserva ao direito de intervir nos preços em momentos de grandes oscilações.

Leia também:

Grupo da família Bin Laden pode voltar às licitações na Arábia Saudita

(Com EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade