Clique e assine a partir de 9,90/mês

Alpargatas vende Rainha e Topper para focar em outras marcas

Após o negócio, avaliado em 48,7 milhões de reais, empresa pretende concentrar esforços em marcas como Havaianas e Osklen

Por Da Redação - 3 nov 2015, 12h32

A Alpargatas anunciou nesta terça-feira um acordo para vender, por 48,7 milhões de reais, as marcas de calçados esportivos Rainha e Topper no Brasil para um grupo de investidores liderados pelo empresário Carlos Wizard. A operação não inclui ativos industriais vinculados às marcas. Com o negócio, a estratégia da Alpargatas é concentrar esforços em suas principais marcas, como Havaianas e Osklen.

O acordo também inclui a venda 20% da Topper na Argentina e no mundo, com exceção de Estados Unidos e China, onde a marca será licenciada por 15 anos aos compradores Por meio de uma reorganização societária, a Alpargatas segregará, de suas operações no Brasil, a unidade de negócios responsável pelas atividades relacionadas às marcas Topper e Rainha em uma nova companhia (NewCo Brasil).

Em comunicado ao mercado, a Alpargatas afirma que a venda permitirá à empresa concentrar esforços nas suas principais rotas de crescimento, reduzir a necessidade de investimentos industriais e racionalizar as despesas administrativas, melhorando as margens e o caixa da companhia. No documento, o presidente da Alpargatas, Márcio Utsch, afirma que os negócios de Topper e Rainha atingiram seus limites de expansão dentro da estrutura da Alpargatas.

Segundo Utsch, no Brasil, as fábricas não fazem parte da transação, mas continuarão produzindo calçados Topper e Rainha para os compradores por um período de até 24 meses. Nesse período, afirma, a empresa aumentará gradualmente a produção local de Mizuno e a produção de calçados “soul collection” Havaianas.

Continua após a publicidade

“Nossas rotas de desenvolvimento estão baseadas no crescimento de volume e rentabilidade de sandálias no Brasil, na consolidação da marca Havaianas para novos mercados, categorias e também no varejo de lojas exclusivas, no aumento de rentabilidade e expansão de Mizuno no Brasil e na América Latina e no desenvolvimento e consolidação da Osklen no segmento feminino e no exterior. Esses são os negócios que receberão ‘120%’ dos recursos disponíveis no Brasil”, completou o executivo.

Leia mais:

Brasil cria uma medida protecionista a cada 17 dias, diz OMC

No Congresso, aéreas atuam para reduzir direitos de passageiros

Continua após a publicidade

Também no comunicado, o fundador do Grupo Sforza, Carlos Wizard, afirma que as aquisições da Topper e Rainha são estratégicas devido ao seu posicionamento de liderança no mercado brasileiro. “Como investidores, temos buscado negócios que além de serem rentáveis e com alto potencial crescimento, geram bem estar. Essa visão de mercado nos levou à aquisição da rede Mundo Verde que fornece produtos naturais e saudáveis e o setor esportivo faz parte de nossa estratégia global”, disse. O empresário também é dono das escolas de idiomas Wizard e Yázigim.

(Com agências)

Publicidade