Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ações do BTG caem 21% e pressionam bancos na Bovespa

Prisão de André Esteves, controlador do BTG, contaminou papéis de Itaú e Bradesco, que caíram quase 5% e puxaram a baixa do Ibovespa

O principal índice da Bovespa fechou em forte queda nesta quarta-feira, em meio ao nervosismo de investidores após as prisões do líder do governo no Senado, senador Delcídio do Amaral (PT-MS), e do presidente do banco de investimento BTG Pactual, André Esteves, no âmbito da Operação Lava Jato. O Ibovespa caiu 2,94%, a 46.866 pontos. Na mínima, o índice de referência do mercado acionário brasileiro recuou 3,19%. O giro financeiro totalizou 7,5 bilhões de reais.

As units do BTG Pactual, que não compõem o Ibovespa, derreteram 21%, a 22,20 reais, sua mínima histórica. Units são certificados de depósitos de ações, normalmente formados por mais de uma categoria de papel. A combinação mais comum é a de um pacote formado por ações ordinárias e preferenciais. Próximo do fechamento, o banco anunciou programa de recompra de até 10% das units, levando a uma desaceleração das perdas. No pior momento, o papel caiu quase 40%, a 18,86 reais.

Com o recuo das units do BTG, Itaú Unibanco e Bradesco caíram quase 5%, pesando no Ibovespa. Petrobras fechou em queda de 7,06% nos papéis preferenciais e de 7,56% nas ações ordinárias

O senador Delcídio do Amaral e o banqueiro André Esteves foram presos na manhã desta quarta-feira por suspeita de obstruírem a Lava Jato, que investiga um esquema bilionário de corrupção que envolve a Petrobras. De acordo com profissionais do mercado de renda variável, tais eventos afetam a confiança no mercado pois envolvem pessoas relevantes nas cenas política e financeira, assustando inclusive investidores estrangeiros, que vinham sustentando ganhos recentes do Ibovespa.

Leia mais:

André Esteves, um bilionário encarcerado

BTG tem ‘finanças robustas’, diz BC, que monitora o banco

(Com agência Reuters)