Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Abimaq: faturamento bruto mensal subiu 3,8% em agosto

Por Wladimir D’Andrade

São Paulo – O faturamento bruto mensal da indústria de máquinas e equipamentos aumentou 3,8% no mês de agosto sobre julho e 9,1% sobre de 2010, nos números, divulgados hoje pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). O faturamento no mês atingiu R$ 7,065 bilhões, enquanto nos oito primeiros meses de 2011 chegou a R$ 52,840 bilhões, o que representa alta de 9,7% sobre o mesmo período do ano passado. Os destaques no faturamento, no acumulado do ano, foram os setores de máquinas para madeira (63,5%), de máquinas agrícolas (25,2%) e de máquinas de hidráulica e pneumática (14,6%).

As exportações no mês de agosto chegaram a US$ 1,230 bilhão, o que representa alta de 36,5%, ante julho, e de 48,8%, ante agosto do ano passado. No acumulado de janeiro a agosto, as exportações cresceram 32,3% sobre o mesmo período do ano passado, resultando em um faturamento de US$ 7,497 bilhões. A alta foi puxada pelos setores de máquinas para petróleo e energia renovável (164,6%), máquinas para logística e construção civil (64,7%) e infraestrutura e indústria de base (38,1%).

As importações, por sua vez, somaram em agosto US$ 3,089 bilhões, que representam alta de 28,8% sobre julho e de 17,3% sobre agosto do ano passado. No acumulado do ano, os produtos que chegaram ao País somaram US$ 19,633 bilhões, que equivalem a um aumento de 26,3% sobre os oito primeiros meses de 2010. Nas importações, foram destaque os setores de máquinas para agricultura (66,1%), máquinas para indústria de transformação (49,8%) e máquinas para logística e construção civil (37,5%).

Com esses resultados, a balança comercial da indústria de máquinas e equipamentos atingiu o saldo negativo de US$ 12,136 bilhões no acumulado do ano até agosto. Já o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) na indústria de máquinas e equipamentos atingiu 83,1% em agosto, ante 83,7% no mesmo mês do ano passado. O emprego no setor em agosto ficou praticamente estável em relação a julho: a alta foi de apenas 0,1%.