Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

A crise de segurança que fez com que o abacate sumisse nos EUA

Ameaça a inspetores de segurança em plantações no México levaram os EUA a suspenderem as importações da fruta; preço já subiu mais de 40%

Por Luana Meneghetti Atualizado em 17 fev 2022, 20h23 - Publicado em 17 fev 2022, 11h35

Uma ameaça de morte a um  inspetor de segurança americano que estava vistoriando as plantações de abacate (avocado) em Michoacán, no México, está gerando uma crise de desabastecimento da fruta em solo americano. Os Estados Unidos suspenderam todas as importações de abacate do México, e os reflexos já começam a se propagar pelo mercado, para desespero dos americanos que apreciam o avocado, ingrediente principal da guacamole e estrela da culinária tex-mex.

Os Estados Unidos confirmaram a suspensão temporária na última sexta-feira, 11, véspera do Super Bowl, famosa final do campeonato de futebol americano. A decisão não afetou o fornecimento para o evento, considerado de extrema importância para as vendas dos produtores mexicanos devido ao alto consumo de guacamole. Essa não é a primeira que um inspetor de segurança é ameaçado. Em 2019, uma situação semelhante levou os EUA a emitirem um alerta de revogar os privilégios exportadores do México. Mais de 90% dos abacates consumidos no país são provenientes do país latino-americano, que exporta mais de 80% sua produção de abacates para os americanos. Apesar da importância econômica para os dois países, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês) alertou que a  “suspensão permanecerá em vigor pelo tempo necessário”.

Com a oferta restrita nas prateleiras, o preço da fruta já está 40% mais caro, registrando um preço médio de 1,36 dólar a unidade. O custo da caixa também subiu de 20 dólares para 26,23 dólares. Além de afetar o bolso dos consumidores que já convivem com uma inflação recorde nos Estados Unidos, no patamar de 7%, também pode começar a afetar a lucratividade de restaurantes altamente dependentes da fruta. “Os abacates respondem por 5% a 10% do custo das mercadorias vendidas da Chipotle (NYSE) e cerca de 2% do El Pollo Loco (Nasdaq)”, estima o analista da Truist Jake Bartlett, no relatório da matinal da Seeking Alpha, serviço de conteúdo para o mercado financeiro.

O estado de Michoacán, no México, é o único autorizado a exportar abacates para o mercado americano, mas as plantações passaram a ser as novas vítimas dos carteis de drogas. Após a suspensão, a popularidade do presidente Andrés Manuel López Obrador, ficou abalada e sofreu uma queda na pesquisa de opinião publicada no domingo, 13, dois dias após o ocorrido. A pesquisa registrou taxa de aprovação de  61,2% — 0,6 pontos percentuais menor do que no sábado e 1,5 ponto menor que a pesquisa do domingo da semana anterior.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)