Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

A boa notícia vinda dos dados de inflação dos Estados Unidos

CPI, índice de preços ao consumidor dos EUA, ficou em 0,1%, abaixo das expectativas de mercado e mostrando desaceleração

Por Larissa Quintino Atualizado em 12 abr 2023, 10h54 - Publicado em 12 abr 2023, 10h29

A inflação oficial dos Estados Unidos subiu 0,1% em março, segundo os dados divulgados nesta quarta-feira, 12, pelo Departamento do Trabalho americano. O ritmo é menor que no mês anterior (0,4%) e abaixo das expectativas do mercado, que projetava 0,2% de alta no mês. O dado deve trazer alívio aos mercados, já que a inflação prolongada na maior economia do mundo puxa a alta nas taxas de juros do FED e o aperto prolongado aumenta os riscos de desaceleração econômica.

No acumulado do período de 12 meses, o CPI americano registrou alta de 5%, também abaixo da projeção de 5,1% e dos 6,4% registrados no mês anterior. Esse é o menor resultado do CPI em base anual desde maio de 2022.

Os dados devem balizar o FED para a próxima decisão de juros. Por causa dos núcleos ainda pressionados, as analistas veem que o ciclo de aperto deve ter um ajuste adicional, mas que está se encaminhando para o fim, “O CPI veio um pouco abaixo do esperado, seguindo tendência mundial de números de inflação desquecendo. Mas não acho que seja suficiente para o FED mudar a cabeça e não subir os 25 pontos base que estão deixando claro para a próxima reunião. Mas acredito que seja a última alta do ciclo”, afirma Marcelo Oliveira, CFA e co-fundador da Quantzed.

O resultado animou o investidor, Por aqui, o dólar comercial que era vendido a 4,99 reais antes do anúncio dos dados caiu para 4,96 reais, queda de 0,87% na comparação com o pregão anterior. A desaceleração inflacionária aumenta o apetite ao risco. O Ibovespa abriu em alta e subia 0,83%, por volta das 10h25 (horário de Brasília), acompanhando o movimento dos mercados americanos.

Continua após a publicidade

O núcleo do indicador, que exclui preços de itens voláteis como energia e alimentos, e é mais observado pelo mercado no cálculo das expectativas de inflação também caiu para 0,4%, abaixo dos 0,5% de fevereiro, voltando para o mesmo patamar de janeiro, em linha das estimativas de mercado.

Segundo o Departamento de Trabalho, os preços de moradia foram os que mais contribuíram para a alta da inflação praticamente anulando as quedas nos preços de energia e alimentação.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.