Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

TCU arquiva processo contra Caixa pela compra do banco Panamericano

Negócio ocorreu em 2009 e a compra de 35% do capital do banco privado custou R$ 740 milhões

Por Lucas Vettorazzo Atualizado em 31 Maio 2022, 17h07 - Publicado em 31 Maio 2022, 16h44

O TCU arquivou um processo movido contra a Caixa pela compra, em 2009, de uma fatia do antigo Banco Panamericano. A Caixa Participações, braço de investimento do banco estatal, comprou 35,5% do capital do banco privado, que era propriedade do Grupo Silvio Santos, dono do SBT.

O negócio custou 740 milhões de reais na época e foi concretizado em três aportes. Havia a suspeita de que a Caixa teria tido prejuízo com a compra, mas a Segunda Câmara do TCU entendeu, em julgamento ocorrido nesta terça, que não foi o caso.

Um relatório preliminar apresentado ao tribunal de contas indicava prejuízos em relação aos aportes de capital da Caixa Participações na empresa em 2012 e 2014. A perda estimada era de 700 milhões de reais.

Os ministros do TCU não acolheram a tese do relatório por entenderem que a Caixa lucrou com o negócio, dado que em 2021 vendeu a sua participação no banco para o BTG Pactual por 3,7 bilhões de reais.

De acordo com os advogados Angelo Ferraro e Sthefani Lara, do escritório Aragão e Ferraro Advogados, somado ao reconhecimento da regularidade dos aportes realizados pela CaixaPar e do benefício econômico gerado pela operação, o Tribunal de Contas deu relevante passo para a delimitação da responsabilidade dos gestores públicos.

“O TCU se mostrou atento à regularidade e à economicidade de operações realizadas pela CaixaPar no Banco Pan que geraram lucro expressivo para a União. O Tribunal fortalece, em linhas gerais, a segurança jurídica necessária para que empresas públicas possam desempenhar suas atividades sem que suas decisões negociais, regularmente tomadas, venham a ser questionadas”, pontua Angelo Ferraro.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)