Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Entidade prevê alta de R$ 0,31 em tarifas de ônibus com veto à desoneração

Associação das Empresas de Transportes Urbanos estima que decisão de Lula deve gerar um aumento de 6,78% nos custos totais do serviço de transporte coletivo

Por Gustavo Maia Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 9 Maio 2024, 19h52 - Publicado em 24 nov 2023, 14h30

A Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos reagiu ao veto de Lula ao projeto que previa a desoneração da folha de pagamento de 17 segmentos da economia brasileira.

Em nota, a NTU lamentou a decisão do presidente e estimou que a medida deve gerar um aumento de 6,78% nos custos totais do serviço de transporte coletivo por ônibus urbano, gerando um reajuste médio das tarifas para o passageiro de até 31 centavos.

Atualmente, o valor médio da tarifa nacional está em torno de 4,60 reais e, portanto, pode ultrapassar 4,91 reais em função do veto.

“A reoneração deve afetar também a manutenção dos 328 mil empregos diretos gerados pelo segmento (dado de setembro/2023), que já foi duramente impactado pela Covid-19: a pandemia provocou a redução de até 80% no número de passageiros transportados e perdas acumuladas de 36 bilhões de reais, que acarretaram o fechamento de 77.900 postos de trabalho nos últimos três anos”, afirmou a associação.

Continua após a publicidade

A entidade fez ainda um apelo ao Congresso para que derrube o veto presidencial e mantenha a desoneração, que vinha sendo aplicada desde 2013.

“A NTU reitera seu posicionamento a favor da continuidade da desoneração, a fim de permitir a manutenção do equilíbrio econômico-financeiro dos contratos e a modicidade tarifária para o passageiro; sua prorrogação é, também, fundamental para ajudar na recuperação das empresas operadoras nesse período pós-pandemia”, concluiu a nota.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.