Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Movida tenta provar ao Cade que fusão Localiza e Unidas fez preços subirem

Fusão das empresas do setor de locação de automóveis está em análise no Cade

Por Josette Goulart 12 ago 2021, 14h01

Na batalha travada no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para tentar barrar a fusão Localiza e Unidas, a Movida tenta mostrar ao órgão de concorrência que, mesmo antes da aprovação da fusão, os preços de alugueis de automóveis já subiram significativamente. A Movida apresentou um relatório da Ferres Economia que mostra que os preços de locação subiram em média 23% entre fevereiro e julho deste ano, com base em consulta aos sites das empresas. O relatório diz que os preços subiram por conta de uma restrição de oferta de frota, mesmo sem ter havido queda na demanda, que já retornou aos níveis pré-pandemia. Mas a própria consultoria alerta que “cabe investigar se essa redução é legítima – fruto de contextos empresariais específicos (choque de custos, restrição de oferta de veículos) – ou se se essa redução de oferta foi puxada pelas duas empresas em função de uma redução da rivalidade entre empresas”.

Um dos pontos que poderia ter influenciado o aumento dos preços é a venda de veículos pelas locadoras, que afeta a oferta para locação. Por conta da maior dificuldade de entrega de veículos novos pelas montadoras, a Movida reduziu em 30% a venda de veículos para ter oferta de locação, já a Unidas acelerou a venda, vendendo 29% mais automóveis, e a Localiza restringiu em apenas 8,7% as vendas de sua frota. 

Os analistas do BBI disseram em relatório divulgado nesta semana que os preços de locação subiram por conta dos preços altos dos automóveis novos e aumento dos juros.  “A Localiza é o marcador de preço no mercado de locação de veículos e sua decisão de aumentar os preços para preservar o retorno do capital investido permitiu que locadoras de veículos menores seguissem o exemplo”, disseram os analistas.

Publicidade