Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Cteep sofre pressão bilionária para modernizar subestação no rio Pinheiros

Empresa de transmissão gastaria 1 bilhão de reais para modernizar subestação que polui visualmente a região

Por Josette Goulart 1 dez 2021, 11h24

O governo de São Paulo está pressionando a Cteep, empresa de transmissão de energia que pertence ao grupo colombiano ISA, para que faça uma remodelagem da subestação Bandeirante. A ideia é que a empresa acabe com a poluição visual com o emaranhado elétrico na marginal  do rio Pinheiros, na capital do estado. A pressão faz parte do projeto do governo estadual que está revitalizando e despoluindo o rio. O problema é que para modernizar a subestação, a empresa  teria que investir cerca de 1 bilhão de reais e o grupo gostaria de colocar esse gasto nas contas de energia dos consumidores.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) não quer permitir que esse gasto vá para as tarifas. Já o governo de São Paulo diz que a empresa, com um terreno daqueles, ganharia dinheiro com a especulação imobiliária. Quem está mesmo na expectativa de que a Cteep faça alguma obra são os donos dos luxuosos apartamentos do Parque Cidade Jardim, empreendimento que fica do outro lado do Rio Pinheiros e que têm a vista poluída com subestação. A Emae, empresa do governo do estado, também tinha subestações na região, mas modernizou as instalações recentemente.

A Cteep diz que no momento não tem qualquer projeto ou alteração prevista para a subestação e que não sofre qualquer pressão para que faça algo.

Publicidade